São Paulo ganha e põe a mão na taça

Só falta uma vitória. Se vencer a Portuguesa, quinta-feira, no Pacaembu, o São Paulo será campeão paulista de 2005. O penúltimo passo para o título foi dado neste sábado, quando o time de Emerson Leão fez uma de suas melhores exibições no campeonato e bateu o Santo André por 3 a 1, no Morumbi. A equipe chegou aos 41 pontos e à 13ª vitória. O Santos, concorrente mais próximo, tem 31 pontos (fez 1 a 0 na Inter) e, mesmo que vença os quatro compromissos que lhe restam, só poderá chegar aos 43, e a 13 vitórias. Nova vitória, leva o Tricolor a 44 pontos. Além de ficar mais perto da conquista, o São Paulo manteve a invencibilidade na temporada, que já dura 18 jogos.A festa dos são-paulinos começou cedo. Logo aos 4 minutos, Grafite foi lançado por Fabão, arrancou para a área e tocou na saída de Júlio César. A bola bateu na trave, mas Diego Tardelli foi mais rápido que os adversários e empurrou para as redes.Nos contra-ataques e tabelas rápidas entre Grafite e Tardelli, o time de Emerson Leão poderia ter definido o resultado ainda no primeiro tempo. Tardelli perdeu ótima chance quando recebeu livre, frente a frente com Júlio César, mas tocou em cima do goleiro.O time do ABC já parecia batido, mas ainda encontrou forças para chegar ao empate. Depois da cobrança de escanteio, Rafinha levantou para Sandro Gaúcho, que acertou uma linda meia-bicicleta, sem defesa para Rogério Ceni.O São Paulo era bem melhor no jogo, mas só ficou em vantagem graças a um lance muito duvidoso. Mineiro se chocou com Rafinha dentro da área e o árbitro Philippe Lombard, apesar das reclamações dos jogadores do Santo André, marcou o pênalti. Para alívio da torcida, Diego Tardelli não bateu desta vez - desperdiçou, quarta-feira, contra o Guarani. Rogério Ceni foi para a cobrança e converteu: São Paulo 2 a 1. Foi o quinto gol do goleiro na competição.A exemplo da primeira etapa, os virtuais campeões paulistas foram para cima logo no início do segundo tempo. Cicinho tabelou com Mineiro e cruzou na cabeça de Tardelli, que só "cumprimentou" e marcou o terceiro. Confortavelmente em vantagem, o São Paulo diminuiu o ritmo e o time do ABC até conseguiu - mais na força de vontade do que na qualidade técnica - pressionar em alguns instantes.A goleada não saiu por pouco. No último minuto, Cicinho apareceu como centroavante e desperdiçou ótimo cruzamento da esquerda, ao tocar em cima de Júlio César. No rebote, Grafite mandou a bola longe do gol. Mas os mais de 30 mil pagantes - que já tinham ficado felizes com a entrada de Falcão no lugar de Tardelli - nem se importaram. Sabem que seu time está perto de levantar mais uma taça do Estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.