São Paulo goleia e se classifica

O São Paulo ficou mais próximo de voltar à Taça Libertadores da América ao golear o Coritiba, por 4 a 1, nesta quarta-feira à noite, chegando à final da Copa dos Campeões. Seu adversário na decisão é o Flamengo, que superou o Cruzeiro por 3 a 0. O primeiro jogo será no domingo, em João Pessoa. O vencedor da disputa, em duas partidas, garantirá vaga na principal competição sul-americana em 2002.No jogo de ida, em João Pessoa, o São Paulo havia vencido o time do Paraná por 2 a 0. Nem com a vantagem de poder perder por um gol de diferença, a equipe paulista deixou de atacar. Algumas jogadas ríspidas e muita movimentação caracterizaram o primeiro tempo. As duas equipes revezavam-se no ataque, imprimindo marcação sob pressão. Logo aos dois minutos, o ala Juliano cruzou para o meio da área, a bola bateu em Douglas e Rogério Ceni defendeu com o peito chute de Mabília.Se o Coritiba avançava pela direita, o São Paulo aproveitava-se das brechas na defesa paranaense para contra-atacar. E foi justamente em tabela pela esquerda, nas costas de Juliano, que o Tricolor chegou ao primeiro gol, aos 9 minutos: após lançamento de Souza, Gustavo Nery cruzou e Fábio Simplício completou da pequena área. Com a desvantagem, o Coritiba abriu-se ainda mais em busca do empate. Quando o São Paulo recuperava a bola, seus jogadores eram parados com excessivas faltas. Irritado, o atacante Luís Fabiano não conseguiu dar seqüência às triangulações.Na defesa, entretanto, o Tricolor não tinha trégua por causa da movimentação do atacante Enílton. Aos 16 minutos ele livrou-se de Jean com uma ginga e chutou rasteiro, de fora da área, no canto esquerdo de Rogério Ceni: 1 a 1. O empate não fez o São Paulo recuar. Até o volante Alexandre chegava ao ataque com perigo.O segundo tempo demorou para se iniciar, por causa de problemas de iluminação no estádio Rei Pelé. Após intervalo de quase trinta minutos, o Coritiba partiu para o ataque, mas o São Paulo fechou os espaços. O meia Souza armava as jogadas com eficiência. A tática são-paulina era prender a bola no ataque. Foi quando Luís Fabiano definiu. Aos 22, ele completou de cabeça, fazendo o segundo gol e, sete minutos depois, tocou na saída do goleiro: 3 a 1. O placar parecia definido quando Belletti sofreu pênalti, aos 45 minutos. França bateu, o goleiro Marcelo Cruz defendeu, mas Fabiano, que entrou no lugar de Fábio Simplício, aproveitou o rebote e marcou o quarto do São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.