São Paulo goleia Peñarol na estréia

O frio e a chuva dos últimos dias deu lugar a um clima agradável, com sol forte, a torcida compareceu em bom número e o adversário era frágil. Tudo favorável para a festa para a volta do meia Leonardo. O jogador não marcou gols, mas comandou a boa estréia do São Paulo na Copa Mercosul. O Tricolor não teve problemas e superou o Peñarol, do Uruguai, por 3 a 0, nesta quarta-feira à tarde, no Morumbi. O time não terá descanso, já que volta a campo sábado, contra o Talleres, na Argentina.O São Paulo começou a partida de forma arrasadora. Com forte marcação, sob pressão, levou apenas 6 minutos para abrir boa vantagem, de dois gols. O reconhecimento do gramado, feito antes do jogo pelos atletas do Tricolor, ajudou. Após a forte chuva de terça-feira, o campo ficou escorregadio. Os uruguaios, desatentos a este fato, entraram com chuteiras de cravas baixas e mal conseguiam parar em pé, perdendo bolas fáceis.Aos 5 minutos, Gustavo Nery chegou à linha de fundo, o zagueiro que o marcava escorregou, desviando a bola para escanteio.Fábio Simplício cobrou e, apesar de os 11 atletas do Peñarol estarem dentro da área, Luís Fabiano desviou para as redes, de cabeça: 1 a 0. A torcida ainda comemorava quando França tocou para Luís Fabiano, aos 6 minutos, que dominou no peito e chutou cruzado, ampliando.O novo esquema tático de Nelsinho Baptista funcionava com eficiência. Quando o time tinha a bola, Fábio Simplício, Carlos Miguel e o "maestro" Leonardo, com a tarja de capitão, desciam em bloco, criando perigo. Sem a bola, atuavam como volantes, marcando forte, sem dar liberdade para os uruguaios. O goleiro Roger era um mérito espectador. Fez apenas uma defesa.Em vantagem no placar e com a fragilidade do adversário, o São Paulo baixou o ritmo, atuando em forma de treino, de dois toques. Mas mesmo assim, desperdiçou chances, com Miguel, França e Luís Fabiano, na primeira etapa. O futebol envolvente fez com que a torcida esquecesse o ídolo Rogério Ceni. Em uma falta próxima da área, satirizaram, pedindo para Roger cobrar.O segundo tempo iniciou com o Peñarol assustando. Romero, assustou Roger, chutando raspando à trave. Foi só. O São Paulo retomou o comando do jogo. O estreante Leonardo estava "elétrico". Todas as jogadas passavam pelos seus pés. Hábil, "cansou" de deixar os companheiros de frente para o goleiro adversário. Ora Luís Fabiano, ora França.Após desperdiçar novas chances, o time definiu a vitória. Com a "sombra" de Emerson, que deve estrear sábado, os zagueiros tricolores, sem trabalho na defesa, ousaram no ataque. Aos 39 minutos, Rogério Pinheiro fez jogada de ponta, chegou à linha de fundo e cruzou.Seu companheiro de setor, Jean, definiu, de cabeça, completando a festa: 3 a 0.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.