São Paulo inaugura "contrato pepino"

O lateral reserva Gabriel "revolucionou" a história dos contratos a serem assinados daqui para a frente no São Paulo. Batizada por conselheiros maldosos como cláusula "pepino", será um recurso que o clube usará para se garantir em contratos longos. O jogador passará a ser avaliado de seis em seis meses. Se não estiver rendendo o suficiente e cair para a reserva, o contrato poderá ser cancelado.A idéia foi do presidente Marcelo Portugal Gouvêa. O péssimo desempenho de Gabriel, que assinou até 2005 por R$ 76 mil mensais, inspirou o dirigente, que classificou o lateral como "pepino". A cláusula já está presente no contrato do volante Carlos Alberto, apresentado como novo reforço até 2006.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.