Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

São Paulo iniciará sequência de jogos que fez Cuca pedir demissão

No primeiro turno, equipe não venceu os últimos quatro rivais que terá até o fim desta temporada: Vasco, Grêmio, Inter e CSA

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2019 | 04h30

Sem vencer há quatro rodadas no Brasileirão, o São Paulo encara sequência que fez o técnico Cuca decidir deixar o clube em setembro. Até o fim desta temporada, a equipe do Morumbi enfrentará Vasco (casa), Grêmio (fora), Internacional (casa) e CSA (fora). O São Paulo luta para conquistar uma vaga na fase de grupos da próxima Copa Libertadores da América, sem precisar disputar partidas classificatórias.

No primeiro turno, o São Paulo não venceu esses mesmos rivais. Perdeu por 2 a 0 para o Vasco, empatou sem gols com o Grêmio, foi derrotado por 1 a 0 pelo Internacional e empatou por 1 a 1 com o CSA. A sequência negativa foi decisiva para Cuca pensar em desistir do trabalho à frente da equipe. Ele comandou o São Paulo ainda na vitória sobre o Botafogo e pediu demissão após a derrota para o Goiás.

Antes de amargar sequência de vitórias no primeiro turno, o São Paulo vinha de cinco resultados positivos. O time estava embalado depois da parada do Campeonato Brasileiro para a disputa da Copa América e chegou a brigar pelas primeiras colocações da tabela. Agora, porém, o cenário é completamente diferente. O São Paulo vem de dois empates fora de casa e duas derrotas no Morumbi. O técnico Fernando Diniz já está pressionado no cargo após receber críticas da torcida. Foram apenas dois gols marcados nos quatro últimos confrontos.

Apesar dos quatro jogos recentes sem vitória, o São Paulo ainda está na zona de classificação para a fase de grupos da Libertadores. Isso porque Flamengo, campeão do torneio continental, e Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil, já estão garantidos. e repassam suas vagas. O São Paulo é o sexto colocado, com 54 pontos, três a mais do que o Inter, sétimo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.