São Paulo já tem seu culpado: o Rio

O zagueiro Rodrigo encontrou os culpados pelo fato de o São Paulo não ser líder do Campeonato Brasileiro: os times do Rio de Janeiro. Segundo o jogador, o fraco desempenho de sua equipe contra os adversários cariocas fora de casa foi fundamental para o time estar apenas em terceiro lugar, com 81 pontos -, que dá pouca chance de ser campeão.Em quatro jogos no Rio, o São Paulo conquistou apenas um ponto, no empate por 0 a 0 contra o Vasco. Contra Fluminense, Flamengo e Botafogo, perdeu por 1 a 0. O adversário de domingo é o Flamengo, só que no Morumbi."Um resultado melhor contra os times do Rio de Janeiro nos deixaria em condições muito mais favoráveis. O jogo contra o Vasco foi a partida que nos distanciou mais dos líderes. Quem sabe até não estivéssemos em primeiro se tivéssemos vencido aquele jogo", comenta Rodrigo. "Agora, nossa situação no campeonato ficou muito difícil. Temos chances ainda, mas acredito que só por um milagre seremos campeões."Orgulho - A defesa menos vazada do Brasileirão - 40 gols - é motivo de orgulho no São Paulo. Para 2005, o técnico Emerson Leão acredita que o setor estará ainda mais forte, já que Edcarlos está se destacando quando entra e se consolidando como boa opção. "Ele merece os elogios porque tem jogado bem", destaca o treinador.Os outros que vem fazendo da zaga um setor bem sucedido são Lugano, Rodrigo e Fabão, que volta contra o Flamengo, domingo.Reforços - O meia Tcheco, um dos nomes da lista de reforços pretendidos pela diretoria do São Paulo para 2005, deverá estar livre para negociar a partir de amanhã, quando fará um acordo com o seu clube, o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, para rescindir o contrato.Quem confirma é o pai do jogador, José Luciano. "No meio do ano os árabes disseram que se o Tcheco fizesse uma boa Copa da Ásia seria liberado em dezembro para voltar ao Brasil. Vamos ver se eles cumprem agora."Tcheco ajudou o Al-Ittihad a conquistar a Copa dos Campeões da Ásia, na vitória sobre o Seongman Chunma, da Coréia do Sul, por 5 a 0. Ainda sob o comando de Cuca, no meio do ano, o São Paulo já tinha demonstrado interesse na contratação do meia, mas o clube saudita não aceitou negociar. Agora, porém, com a provável liberação, as coisas se tornam mais fáceis. Juvenal Juvêncio, diretor de futebol do São Paulo, confirmou o interesse e disse que pretende conversar com o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.