Rubens Chiri / saopaulofc.net
Rubens Chiri / saopaulofc.net

São Paulo joga clássico no Pacaembu sob pressão maior que rival

Contra Palmeiras, time vai atrás de primeira vitória em clássico no ano e de se aproximar de vaga no mata-mata

Ciro Campos e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2019 | 04h36

O São Paulo deixou para as duas últimas rodadas do Campeonato Paulista a confirmação da sua vaga para a fase de mata-mata. Neste sábado, às 16h30, no Pacaembu, a disputa é indigesta, contra o rival Palmeiras. As duas equipes ainda não venceram clássicos no ano. A pressão é grande no tricolor, que não faz boa campanha e precisa da vitória para não correr risco de ser eliminado do torneio.

A escolha do Pacaembu se deu porque o Morumbi não tem condições de receber jogos. O estádio teve o campo e a sede social alagados com as chuvas. A expectativa da diretoria é que no próximo confronto em casa o estádio já esteja liberado.

A situação do São Paulo no Estadual não é confortável. O time tem 14 pontos e está na segunda posição do Grupo D, atrás do Ituano, que tem 17 e um jogo a mais. Só que o Oeste vem na terceira posição, com 12 pontos, e enfrenta amanhã o Corinthians. Com isso, se o Palmeiras vencer hoje e o rival superar o alvinegro na arena em Itaquera, o São Paulo chegará na última rodada dependendo de outros resultados para se classificar.

Obviamente o técnico Vagner Mancini não quer correr riscos e pretende conquistar os três pontos diante da própria torcida, a única com permissão de ir ao Pacaembu hoje. Sem poder contar com o zagueiro Bruno Alves, que está suspenso, o treinador interino deve mudar a formação do time, abrindo mão do esquema tático com três zagueiros e atuando com linha de quatro defensores.

Hudson, que não vinha sendo titular, deve ganhar uma chance para reforçar a marcação no meio, onde o Palmeiras tem jogadores de qualidade como Dudu, Gustavo Scarpa e Ricardo Goulart. Na frente, a boa notícia é a presença de Gonzalo Carneiro, que estava suspenso, mas a diretoria tricolor conseguiu o efeito suspensivo e o uruguaio poderá estar em campo.

No lado do Palmeiras, a situação é mais tranquila. A equipe lidera o Grupo B com 19 pontos e está bem perto da vaga na próxima fase. O técnico Luiz Felipe Scolari deve escalar um time parecido ao usado na terça, na vitória sobre o Melgar, pela Libertadores. A principal diferença será no ataque.

Deyverson cumprirá o sexto e último jogo da suspensão por ter cuspido no corintiano Richard e vai dar lugar a Borja. O colombiano tem um histórico positivo contra o São Paulo, contra quem já marcou cinco vezes.

Apesar de não ter vencido clássicos no ano, o Palmeiras vive ambiente calmo e aposta na estabilidade da defesa. O zagueiro Antônio Carlos, aliás, não perde há seis meses. O último resultado negativo foi na Copa do Brasil do ano passado. “Viemos em uma boa sequência no Estadual e vamos trabalhar para mantê-la”, disse.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO x PALMEIRAS

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinicius, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Hudson e Hernanes; Antony, Pablo e Carneiro. Técnico: Vagner Mancini.

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Moisés e Ricardo Goulart; Gustavo Scarpa, Borja e Dudu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Juiz: Thiago Duarte Peixoto.

Hora: 16h30.

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

TV: Premiere.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.