Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

São Paulo joga na Copa Libertadores em busca da recuperação

Clube tenta esquecer derrota diante do Corinthians para garantir a ponta do grupo; rival é o América de Cali

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

21 de abril de 2009 | 23h06

O São Paulo recebe o América de Cali nesta quarta-feira, às 21h50, no Morumbi, na expectativa de vencer, melhorar sua pontuação no Grupo 4 da Libertadores e ficar com alguma vantagem nas fases seguintes, de confrontos mata-mata - o jogo terá cobertura online do estadao.com.br e transmissão da Eldorado/ESPN, também no FM 107,3. Mesmo com uma vitória, porém, a campanha são-paulina não será suficiente para garantir todos os jogos decisivos em casa mais adiante. O time fará no máximo 13 pontos e outros adversários devem ultrapassá-lo.

 

Veja também:

tabela Copa Libertadores - Calendário / Resultados

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

 

A situação ficou um pouco mais difícil quando a comissão técnica decidiu dar maior importância à fase semifinal do Paulista. O São Paulo acabou eliminado diante do Corinthians, perdeu para o Independiente Medellín (2 a 1) na semana passada com time praticamente reserva e a pressão por vencer um campeonato decidido no mata-mata aumentou - o clube acumula nove eliminações seguidas em competições nesse formato.

 

"No mata-mata, o meu currículo mostra que ganhei muito mais títulos do que perdi", defende-se o técnico Muricy Ramalho. "Temos três títulos brasileiros, não é porque perdemos que não prestamos mais."

 

A confiança são-paulina anda abalada depois da eliminação no Paulista. A última vez que o time havia sido derrotado três vezes consecutivas foi em outubro de 2007 - para Flamengo e Corinthians, pelo Nacional, e para o Millionarios, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana, todas por 1 a 0. Mas, na ocasião, o peso das derrotas não foi tão grande, pois o São Paulo acabaria sendo campeão brasileiro.

 

"Este é um time que está triste, mas não se abate. Temos o ano todo ainda pela frente", lembra Muricy. "Não estamos acostumados com as derrotas, mas também não é o fim do mundo", completa Washi

 São Paulo
Bosco; Renato Silva, Rodrigo e Miranda; Wellington (Dagoberto), Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Júnior César; Borges e Washington
Técnico: Muricy Ramalho
 América de Cali (COL)
Mesa; Angulo, Valdés, Viáfara e Távima; Banguero, Casañas, Arango e Alex del Castillo; Otálvaro e Parra
Técnico: Alex Escobar
Árbitro: Carlos Torres (PAR)

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Horário: 21h50

Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700 Khz; FM 107,3

TV: Globo

ngton. "Quando falhamos, temos de nos recuperar sempre na próxima partida. A próxima partida é de Libertadores, a competição mais importante para nós."

 

Muricy não terá os mesmos titulares ausentes nos últimos jogos: Rogério Ceni, André Dias, Zé Luis e Arouca, todos contundidos. E descartou a utilização de Joílson e Wagner Diniz na ala-direita. "Quando o jogador está em má fase a gente tem que dar um tempo para ele recuperar a confiança", explica. Dagoberto, que jogou na função na última partida, e Wellington podem aparecer por ali.

 

O América de Cali, eliminado da disputa, vem com o time reserva. Até o técnico Diego Umaña ficou na Colômbia, e a equipe será comandada pelo auxiliar Alex Escobar. No outro jogo da noite, o Defensor precisa vencer o Independiente de Medellín, em Montevidéu, para conquistar a outra vaga do Grupo 4. Os colombianos jogam pelo empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.