Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

São Paulo enfrenta o Santos para Dorival começar em paz

Na zona de rebaixamento, São Paulo visita o Santos e espera do novo técnico, que assume na segunda-feira

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

09 de julho de 2017 | 07h00

No primeiro jogo após a demissão de Rogério Ceni, o São Paulo precisa vencer o Santos, às 19 horas, na Vila, para tentar sair da zona de rebaixamento e interromper sequência de seis rodadas sem vitórias no Brasileirão. Em termos subjetivos, o time quer superar a saída traumática do ídolo e virar a página para iniciar uma nova fase com Dorival Junior. Mais tranquilo, o Santos quer manter a boa campanha e continuar entre os cinco primeiros na tabela.

Uma vitória do São Paulo não significa necessariamente a fuga do Z-4. Com 11 pontos em 17.º lugar, o time foi ultrapassado na última rodada pelo Bahia, que tem a mesma pontuação, mas mais gols. A equipe baiana recebe o Fluminense, às 16h – antes do clássico em Santos.

Embora a apresentação oficial de Dorival seja somente amanhã e sua estreia esteja marcada para a próxima rodada, o novo treinador já está em contato com o auxiliar Pintado, que será o comandante hoje, para transmitir informações estratégicas sobre o adversário.

Dorival foi técnico do Santos por quase dois anos, ganhou o Paulista de 2016 e foi vice da Copa do Brasil de 2015 e do Brasileiro de 2016. O contato foi confirmado pelo volante Petros. “Ele já entrou em contato com o Pintado para passar informações”, disse o recém-contratado.

Até os santistas sabem que a troca de informações já começou. “Como o Dorival trabalhou quase dois anos com a gente, a dificuldade aumenta um pouco para nós. Ele sabe as características de quase todo mundo aqui”, admitiu o volante Renato.

Além da visão privilegiada do “espião”, o São Paulo espera contar com o cansaço do rival, que atuou na Libertadores no meio da semana vencendo o Atlético-PR por 3 a 2, fora de casa. Eliminado de três torneios, o time do Morumbi disputa apenas o Nacional. “A gente sabe que existe um desgaste maior quando tem um jogo perto do outro. Mas no clássico, você esquece de tudo, todo mundo só pensa nos três pontos”, comentou o goleiro Renan Ribeiro.

Pintado terá de administrar a má fase de algumas estrelas. Nos últimos treinos, o auxiliar chamou o peruano Cueva para uma conversa em particular. Desde a lesão muscular sofrida com a seleção de seu país, em março, o atleta não voltou a ter o mesmo rendimento. Por isso, pode perder a posição. Ele sofre a concorrência de Jonathan Gómez e Lucas Fernandes.

Lucas Pratto, principal contratação do ano, reconheceu que não está conseguindo reeditar as boas atuações que teve no Atlético-MG. Seu último gol foi em 8 de junho, contra o Vitória.

As opções na defesa aumentaram com a regularização da documentação do equatoriano Arboleda, que pode fazer sua estreia. Lugano vai para o banco.

Embora esteja bem no torneio, o Santos vem oscilando dentro de casa. Perdeu pontos para Cruzeiro e Sport. Ontem, Bruno Henrique foi vetado por causa de um pisão no pé esquerdo. Thiago Ribeiro foi relacionado e deve ganhar uma chance entre os titulares. Para Renato, o segredo é manter o “espírito da Libertadores” do jogo de quarta. “Não podemos perder esse embalo.”

FICHA TÉCNICA

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Copete, 

Thiago Ribeiro e Kayke. Técnico: Levir Culpi.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Petros, Wesley e Cueva; 

Marcinho e Pratto. Técnico: Pintado (interino).

Juiz: Sandro Meira Ricci (SC).

Local: Vila Belmiro, em Santos.

Horário: 19h.

Transmissão: PPV.

Ao vivo: estadao.com.br/e/classicovivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.