São Paulo luta para manter os campeões

O presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, ensaiou um discurso no Palácio dos Bandeirantes, onde a delegação foi recebida nesta terça-feira pelo governador Geraldo Alckmin. Disse que a cidade nunca viu tamanha comemoração de um clube de futebol. E agradeceu o carinho de todos os torcedores. ?Nunca São Paulo parou como hoje?, festejou o dirigente, que já começa a projetar 2006. Feliz e sempre à frente da comitiva, o cartola aproveitou o cenário político para fazer promessas, mas com os pés no chão, como ele mesmo fez questão de ressaltar. ?Não podemos pensar alto, embora a alegria seja grande. Vamos seguir trabalhando como sempre fizemos, com os pés no chão e com responsabilidade. Mas tentaremos formar em 2006 uma equipe tão competitiva quanto a que tivemos em 2005?, disse Marcelo Portugal Gouvêa, antes de seguir para o fim da festa no Estádio do Morumbi.O São Paulo esperava conseguir com sua projeção mundial alguns amistosos internacionais ou mesmo excursões caça-níqueis como faziam os clubes em décadas passadas. Mas não vê no calendário brasileiro da próxima temporada muito espaço para isso. ?Não temos chance de fazer nada fora dos torneios oficiais?, lamentou o presidente.Marcelo Portugal Gouvêa também comentou sobre a situação de dois dos principais personagens da conquista do título mundial no Japão: o atacante Amoroso e o técnico Paulo Autuori, que podem sair.?Vamos fazer o possível para ficar com o treinador e com todos os jogadores do elenco. O Cicinho é quem está mais longe, porque já tem um pré-contrato com o Real Madrid. Mas temos tido sorte nas reposições. E não vamos ficar desesperados se alguém quiser sair agora?, prometeu o presidente do São Paulo.Marcelo Portugal Gouvêa confirmou o contrato de Paulo Autuori até o final do ano que vem. ?Estamos tranqüilos em relação à sua permanência?, revelou o dirigente, apesar do treinador ter proposta do futebol japonês.Sobre Amoroso, Marcelo Portugal Gouvêa também mostrou-se otimista, mesmo a despeito de o jogador ter um pré-contrato com o FC Tokyo, do Japão. ?Vamos esperar o fim da festa para conversar com ele. Temos interesse em mantê-lo e ele parece que também tem interesse em permanecer. Tudo pode ser resolvido e acertado?, explicou. Veja o especial do Mundial de Clubes da Fifa e relembre a conquista do título do São Paulo

Agencia Estado,

20 de dezembro de 2005 | 20h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.