São Paulo luta pela segunda vitória seguida para embalar

Tudo que o São Paulo deseja é uma sequência de vitórias para engrenar no Brasileirão. Mas isso está longe de ser uma realidade nesta temporada. A equipe não vence dois jogos seguidos há 20 partidas, desde quando bateu o Palmeiras (1 a 0, no dia 28 de março) e o Guaratinguetá (2 a 1, em 2 de abril), ainda pelo Campeonato Paulista. Para complicar a missão, o adversário são-paulino nesta quarta-feira é o Internacional, a partir das 21h50, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

GIULIANDER CARPES, Agencia Estado

22 de julho de 2009 | 07h43

Depois de vencer o Santos no último domingo, quando chegou aos 14 pontos no Brasileirão, o São Paulo terá outra dificuldade nesta quarta-feira para ganhar o segundo jogo seguido: o duelo com o Internacional será em Porto Alegre. Afinal, a última vitória são-paulina fora de casa aconteceu no distante dia 25 de março, quando fez 2 a 1 no Noroeste, em Bauru, também pelo Campeonato Paulista. O retrospecto ruim da temporada dá uma noção da dimensão do desafio que o time terá no Estádio Beira-Rio.

"Já passou do tempo de começarmos a vencer fora de casa", afirmou o goleiro Bosco, que voltou a ser titular do time na última partida, ocupando a vaga que vinha sendo de Denis. "O São Paulo sempre esteve acostumado a brigar pelas primeiras posições. Quando conseguimos ter uma sequência de vitórias, ganhamos tranquilidade e começamos a pensar grande.?

Sobre o time que jogará nesta quarta-feira em Porto Alegre, o técnico Ricardo Gomes decidiu manter Washington entre os titulares depois que ele fez os dois gols da vitória sobre o Santos. Assim, a tendência é que o atacante Borges, que cumpriu suspensão na rodada passada, fique agora no banco de reservas, já que Dagoberto parece estar garantido no ataque.

"Não vou tirar do time um jogador que fez dois gols", disse Ricardo Gomes, ao falar de Washington. Ele, no entanto, não quis adiantar quem ficará no banco de reservas. "Tem de esperar um pouco mais para definir, não vou antecipar. O Borges vem de boas atuações também", lembrou o treinador.

Outro jogador que corre sério risco de perder o lugar na equipe titular é Jorge Wagner. Cumprindo suspensão, ele também ficou fora da vitória sobre o Santos. E Ricardo Gomes não pensa em mudar o meio-de-campo que teve Jean, Richarlyson, Hernanes e Marlos. Além disso, a vaga na lateral-esquerda é de Junior Cesar.

Mas, independentemente de quem for jogar, Ricardo Gomes já avisou que não irá tolerar manifestações de insatisfação pública, como vinha acontecendo quando Muricy Ramalho era o técnico do time. "Não espero compreensão, mas não quero reclamação. O mais importante é o São Paulo. Pode acontecer, mas vai ter conversa comigo depois", afirmou.

"Quando eu não escalo alguém, não estou cometendo uma injustiça. Não vejo assim. A minha escolha não vai indicar uma injustiça ou justiça. O jogador tem liberdade para me procurar em minha sala aqui no CT para saber o que eu estou pensando", completou Ricardo Gomes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.