Daniel Teixiera/Estadão
Daniel Teixiera/Estadão

São Paulo não consegue superar o Grêmio em casa e continua fora do G-4

Empate por 1 a 1 entre tricolores é melhor para time gaúcho, que continua na quarta colocação

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2018 | 21h01

O São Paulo queria usar o fator casa para retomar sua vaga no G-4 do Campeonato Brasileiro, diante do Grêmio, mas em mais uma noite de exibição sem brilho, o time ficou no empate por 1 a 1 e se manteve na quinta posição do torneio, justamente atrás do rival gaúcho. As duas equipes estão com 59 pontos, mas o Grêmio leva vantagem por ter uma vitória a mais (16 contra 15).

A formação em campo de São Paulo e Grêmio era bem parecida. As duas equipes entraram com uma linha de quatro defensores, dois volantes, três meias e um centroavante de referência na área: Tréllez, pelos paulistas, e Jael, pelos gaúchos. Só que o time da casa iniciou mais disposto a abrir o marcador que os visitantes.

Logo aos 41 segundos, Helinho bateu de primeira, com perigo, levantando pela primeira vez a torcida no Morumbi. O Grêmio nitidamente se preocupava mais em se defender e não corria riscos. E o São Paulo tentava chegar pelos lados do campo, em cruzamentos de Reinaldo pela esquerda e com a velocidade de Helinho pela direita.

Com uma forte proteção na frente da defesa, as chances do time paulista eram pelo alto, com Tréllez, que cabeceou por cima, e com Arboleda, que mandou de cabeça, mas Paulo Victor segurou. E com o excesso de marcação, a partida apresentou poucas chances e só foi levar mais emoção ao torcedor nos últimos minutos antes do intervalo.

Aos 42, Helinho deu um lindo toque para Tréllez, que chutou fraco e o goleiro gremista segurou com tranquilidade. Pouco depois, Everton pegou uma bola desviada e mandou por cima do gol, meio sem ângulo. A única boa chance do Grêmio veio nos acréscimos, quando Everton limpou a marcação e mandou no canto, mas Jean espalmou para escanteio.

Na etapa final, o Grêmio melhorou e tratou de buscar um resultado melhor. Quase abriu o placar com Jean Pyerre, que tocou por cima na saída de Jean, mas Arboleda salvou. Pouco depois, o time gaúcho chegou ao gol. Madson recebeu na direita, cruzou e o pequeno Everton levou a melhor sobre Bruno Peres, cabeceou e abriu o marcador.

O São Paulo sentiu o golpe, mas o Grêmio preferiu recuar e não insistiu para ampliar a vantagem. A equipe da casa tinha Nenê em campo e ele pouco produzia. Tréllez lutava no ataque, mas pouco acertava. Jardine mexeu no time e apostou em Shaylon para armar as jogadas. Em pouco tempo, o meia tocou para Everton, que cruzou e Michel acabou cabeceando contra a própria meta.

O gol mexeu com o tricolor paulista, que com a entradas de três jogadores formados em Cotia (Antony, Shaylon e Liziero) tentava o gol da vitória. O time pressionou sem muita eficiência, mas prevaleceu a força defensiva do Grêmio e a grande atuação de Geromel na zaga, que anulou Tréllez e ajudou seu time a ficar à frente do São Paulo na tabela de classificação.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 1 GRÊMIO

SÃO PAULO: Jean; Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Hudson (Liziero), Helinho (Antony), Nenê (Shaylon) e Everton; Tréllez. Técnico: André Jardine.

GRÊMIO: Paulo Victor; Madson, Paulo Miranda (Matheus Henrique), Pedro Geromel e Bruno Cortez; Michel, Maicon (Cicero), Ramiro, Jean Pyerre (Alisson) e Everton; Jael. Técnico: Renato Gaúcho.

Gols: Everton, aos 11, e Michel (contra), aos 28 minutos do 2º tempo.

Juiz: Péricles Bassols Cortez (PE).

Cartões amarelos: Nenê, Jael e Everton (Grêmio).

Público: 24.757 pagantes.

Renda: R$ 759.161,00.

Local: Morumbi, em São Paulo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.