'São Paulo não é favorito contra o Botafogo', diz Ney Franco

Técnico da equipe do Rio de Janeiro diz que times jogarão de igual para igual no jogo de quarta no Engenhão

Leonardo Maia, Agencia Estado

28 de outubro de 2008 | 22h11

Desfalques, salários atrasados e insinuações de racha no elenco. Nada disso é suficiente para o técnico Ney Franco considerar que seu time leva desvantagem na partida desta quarta-feira, contra o vice-líder São Paulo, no Engenhão. Em vez disso, o comandante do Botafogo acha que as duas equipes jogarão de igual para igual.Veja também:São Paulo terá duas mudanças para jogo com BotafogoZagueiro Anderson volta a ser relacionado no São Paulo Classificação Calendário / Resultados Vote: quem vai ficar com o título do Brasileirão? Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "Não há favorito nessa partida. Nossos desfalques não dão ao São Paulo essa condição, nem o fato de jogarmos em casa nos favorecerá tanto. Mas ficamos enfraquecidos", disse Ney Franco, admitindo que as ausências de Lúcio Flávio e Castillo, por contusão, e Carlos Alberto e Triguinho, suspensos, podem fazer a diferença."Todos sabem os problemas pelos quais passa o Botafogo, mas não podemos deixar isso influenciar dentro de campo", afirmou o zagueiro André Luís, que volta de suspensão, depois de ficar de fora da vitória sobre o Ipatinga, no último sábado. Nesta terça-feira, novamente o Botafogo realizou um treino fechado à imprensa, assim como no início da semana. A intenção parece ser esconder os jogadores que entrarão na equipe, no lugar dos desfalques. Apesar da estratégia, Ney Franco não acredita que os treinamentos secretos são fundamentais para vencer o São Paulo no Engenhão. "Não será por isso que nós venceremos o São Paulo. Mas a partida representa muito para nós e precisamos usar tudo o que está ao nosso alcance", disse o treinador. O zagueiro André Luís concorda. "Vale qualquer artifício. O São Paulo não sabe direito como iremos atuar por causa dos desfalques e não podemos dar armas a eles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.