São Paulo não embala após Rio-SP

O São Paulo começou bem a temporada. Sob o comando do técnico Vadão, o time conquistou o Torneio Rio-São Paulo, vencendo o Botafogo-RJ na final. O título deu ao Tricolor o direito de disputar a Copa dos Campeões, competição que garante uma vaga na Taça Libertadores. Mas o time não manteve com o treinador, no Paulista, a performance do Rio-São Paulo e o treinador acabou sendo demitido. No seu lugar, entrou Nelsinho Baptista.Com a estréia do novo técnico, na Copa dos Campeões, a equipe vinha tendo bom desempenho na primeira fase da competição, mas uma briga do goleiro Rogério Ceni - que cobrava reajuste de salários -, com o presidente do clube, Paulo Amaral, e o diretor de Futebol José Dias atrapalhou o ambiente entre os jogadores. Mesmo nesse clima, a equipe chegou à final do campeonato. Quando perdeu o título para o Flamengo. Na volta da delegação, Rogério foi punido pelos dirigentes. Ficou quase um mês afastado, sem receber salário.Na Copa Mercosul, mesmo com adversários fáceis, não passou da primeira fase. No Brasileiro, o time foi irregular desde o início e o cargo de Nelsinho vivia balançando. A classificação, na última rodada, salvou o emprego do treinador, mas a equipe foi eliminada logo nas quartas-de-final pelo depois campeão Atlético-PR.A diretoria investiu pouco, cerca de R$ 5 milhões na temporada. Optou por jogadores baratos e fez contratos provisórios. Fechando o ano, Leonardo deixou o clube, e Emerson voltou para a Portuguesa. O clube ainda tenta convencer o Rennes a liberar Luís Fabiano. A diretoria tenta acertar a transferência de França para o futebol europeu. Reinaldo, Lúcio Flávio e Rafael são as caras novas para 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.