São Paulo não esconde favoritismo

Os dirigentes do São Paulo não fizeram questão de esconder o favoritismo da equipe no clássico desta quarta-feira à noite, que vai definir um dos finalistas do Superpaulistão. E também acham natural que o técnico Vanderlei Luxemburgo use isto para incentivar sua equipe, derrotada por 2 a 0 no último domingo. ?Não vejo o porquê dos palmeirenses estarem insatisfeitos com o que disse. Quero jogar com o Ituano no domingo e decidir a final em casa, com o Morumbi lotado?, falou o diretor de futebol Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco. ?O Luxemburgo quer se fazer de vítima e utilizar nosso favoritismo para incentivar o seu time. Isto é natural. É a mesma tática que usaram no Rio-São Paulo, na partida que acabaram ganhando por 4 a 2?, afirmou o gerente de futebol Tricolor, Marco Aurélio Cunha. Já o técnico Oswaldo de Oliveira não concorda com os dirigentes. ?Não me importa o que estejam falando no Palmeiras, só quero saber do meu time. Não vejo favoritismo neste jogo. Clássico é clássico e tudo pode acontecer?, falou o treinador. Como novidade na equipe nesta segunda partida, Júlio Baptista deve começar jogando, no lugar do meia Adriano. É o que se pode concluir do treinamento desta terça-feira, em que Batista atuou o tempo todo como titular. ?Gosto mais de jogar no meio de campo que no ataque. Com o Nelsinho joguei na frente e não rendi o que poderia?, afirmou o atleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.