São Paulo não esconde o abatimento

Os jogadores do São Paulo deixaram o estádio Almeidão, em João Pessoa, desolados. A derrota por 5 a 3 para o Flamengo, na primeira partida da final da Copa dos Campeões, foi um golpe duro para os atletas e o técnico Nelsinho Baptista. Ninguém, porém, quis relacionar o resultado e a atuação do time com a crise que estourou às vésperas do jogo, por causa do desentendimento entre o goleiro Rogério Ceni e o presidente do clube, Paulo Amaral."Eu procurei jogar apenas futebol. Não pensei em outra coisa", garantiu Rogério Ceni, que mais uma vez evitou falar da rixa com o dirigente. O goleiro acha que ainda é possível reverter a situação. "Os números do resultado assustam, mas no fim foi uma diferença de dois gols. Foi como se o time tivesse perdido por 2 a 0", avaliou o jogador, que afirmou ter cumprimentado Paulo Amaral antes do jogo.O dirigente, que chegou sábado a João Pessoa, ficará com a delegação até a volta para a capital paulista. Paulo Amaral assistiu ao jogo nas numeradas do estádio, acompanhado de um grupo de dirigentes do clube, e cercado por seguranças.Antes do jogo, Paulo Amaral teve uma reunião com os atletas no hotel em que o time está concentrado na praia da Tambaú, em João Pessoa. Ninguém do elenco ousou comentar o que foi conversado com o dirigente, que também não deu entrevistas.O técnico Nelsinho Baptista tentou mostrar otimismo nas entrevistas após o jogo, acreditando na reação da equipe em Maceió. Ele admitiu que o São Paulo foi muito lento no primeiro tempo. O meio-de-campo deu muito espaço e a bola não chegava com precisão no ataque. Além disso, faltou jogadas de linhas de fundo, principalmente com Gustavo Nery, que foi pouco acionado nos 45 minutos iniciais.Nelsinho lamentou também a falta de sorte da sua equipe. "No segundo tempo, depois do acerto no intervalo, fomos superior ao Flamengo. Perdemos muitas oportunidades e o Flamengo deu sorte, principalmente no quarto e no quinto gols", disse o técnico, que pretende fazer algumas mudanças táticas para a segunda partida, em Maceió. "Já tenho algumas coisas na minha cabeça, mas vamos conversar com o time só no dia seguinte. Agora, está muito abatido pelo resultado."Nesta segunda-feira, o time do São Paulo irá fazer um trabalho especial de hidromassagem em uma academia em João Pessoa. Os reservas treinam à tarde. A viagem para Maceió será às 22 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.