São Paulo não libera Roger para Santos

O São Paulo se prepara para duas brigas com o Santos, envolvendo os jogadores Ricardinho e Roger. "O Ricardinho foi liberado com a ressalva de que se assinasse com um clube brasileiro antes do final do ano nos pagaria R$ 2 milhões. A assinatura dele está lá e isso não é brincadeira. Buscaremos nossos direitos na Justiça", disse o supervisor do São Paulo, Marco Aurélio Cunha.Já Roger recebeu uma oferta para assinar contrato por dois anos com o Santos e está louco para aceitar. "Meu contrato no São Paulo termina em janeiro, só tenho garantia por seis meses, depois posso ficar desempregado. Lá, a oferta é por dois anos e financeiramente também é melhor", contou o goleiro.Roger recebe R$ 40 mil mensais no São Paulo, mas se for para o Santos receberia também pelo aluguel do passe. "Quando reformei contrato aqui, tive a promessa verbal do Juvenal Juvêncio (diretor de futebol) de que me liberaria em caso de uma boa oferta. Agora, chegou a oferta e ele vai cumprir a palavra", pediu."Não vamos liberar o Roger. O contrato dele foi renovado para que pudesse ser utilizado em caso de necessidade. Agora, com a Libertadores chegando ao final, não dá para prescindir dele", avisou Marco Aurélio Cunha.Cuca ironizou e sugeriu uma boa opção para Vanderlei Luxemburgo no Santos. "Escala o Doni. É um grande goleiro. Não tem que vir aqui fazer propostas pelos nossos jogadores", provocou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.