São Paulo negocia com novo fornecedor

A escolha do novo fornecedor de camisas do São Paulo está envolvendo números muito altos. Há informações de que a proposta vencedora chegará a R$ 4 milhões, um aumento de 300% em relação ao R$ 1 milhão anual que o clube recebe atualmente da Topper.A definição do novo fornecedor será na sexta-feira. Puma, Reebok e Penalty são as fábricas interessadas. E já está definido que a vencedora construirá uma megaloja no Morumbi, para venda de camisas.?Será uma loja de frente para a rua e interligada com o Memorial de conquistas do clube, seguindo uma tendência mundial?, revelou Júlio César Casares, diretor de marketing do São Paulo.O aumento dos valores deve se refletir também na renovação do patrocinador do São Paulo, em dezembro. ?A verdade é que esse mercado está muito aquecido. O Corinthians conseguiu um grande contrato e nós vamos conseguir um melhor ainda?, garantiu João Paulo de Jesus Lopes, diretor de planejamento do clube.O atual contrato do São Paulo com a LG é de R$ 8 milhões anuais e o do Corinthians com a Samsung é de R$ 15 milhões anuais.Atrás do tri - Outra reunião, marcada para hoje, entre Juvenal Juvêncio, Marco Aurélio Cunha, Júlio Casares e o agente de viagens Marcos Freire, que formam a comissão que cuida da participação do São Paulo no Mundial Interclubes, vai tratar de idéias para conseguir uma boa torcida no Japão, onde acontecerá o torneio.?Estamos buscando patrocínio para confeccionar e distribuir pelo menos 80 mil bandeiras do São Paulo à torcida japonesa durante o evento?, disse Casares.Como o São Paulo ganhou duas vezes o Mundial, em Tóquio, a diretoria acredita haver uma simpatia ?acumulada? que precisa de pouco para ser despertada agora, 12 anos depois do bicampeonato mundial.A camisa utilizada no Mundial também será tema da reunião. A Topper apresentará um projeto que será examinado pelos diretores do São Paulo. Não será uma camisa muito diferente da atual, mas obedecerá às normas fixadas pela Fifa, que aceita apenas um patrocinador, na frente da camisa, vetando patrocínio nos ombros e nas costas.Uma tendência que o São Paulo espera manter no ano que vem, dependendo do acordo conseguido com o novo patrocinador. O patrocínio da Habib?s nos ombros deve acabar. Um acordo com novo fornecedor de comida no Morumbi será feito em troca de placas no estádio e não de espaço nas camisas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.