São Paulo passa fácil pelo Chivas e vai à 2ª final seguida

Foi mais fácil do que se imaginava. Mesmo tomando alguns sustos no primeiro tempo, o São Paulo venceu com autoridade o Chivas por 3 a 0, na noite desta quarta-feira, e garantiu vaga para a segunda decisão consecutiva na Copa Libertadores da América.O pênalti defendido por Rogério Ceni, seguido pelos gols de Leandro, Mineiro e Ricardo Oliveira, levaram ao delírio os mais de 66 mil torcedores que fora ao Morumbi. E elevaram ainda mais a auto-estima de um time que há tempos se mostra iluminado.Agora, resta aos são-paulinos esperar pelo vencedor da outra semifinal, entre Internacional e Libertad. Se os gaúchos passarem, a Libertadores terá pela segunda edição consecutiva dois times brasileiros na decisão.Os mexicanos estiveram perto de estragar a festa, mas lhes faltou competência. A primeira etapa mostrou bem a diferença entre um campeão nato e um time bom, mas apenas emergente. O Chivas teve o jogo nas mãos, mas não tirou proveito. Graças à má colocação da zaga são-paulina, especialmente do lado esquerdo, com Edcarlos, os mexicanos tiveram duas ótimas chances para marcar em menos de três minutos, aos 17 e aos 20. Na primeira, Santana bateu, a bola desviou em Fabão e Rogério Ceni salvou com o joelho. Na segunda, o mesmo Santana recebeu livre e rolou para Bautista, que, cara a cara com o gol, isolou a bola.A melhor oportunidade, porém, veio aos 26, com mais uma mão da zaga tricolor. Ou melhor, duas mãos, as que Fabão colocou nas costas de Bautista para subir e cortar um cruzamento na área. Corajosamente, o árbitro Daniel Giménez assinalou pênalti. Morales bateu cruzado no canto esquerdo e Rogério Ceni espalmou.Foi o suficiente para o São Paulo acordar e mostrar aos mexicanos como é que se faz. Aos 32, Ricardo Oliveira tabelou com Leandro, invadiu a área e adiantou a bola. O próprio Leandro ficou com a sobra e fez 1 a 0. Sete minutos depois, Ricardo Oliveira fez o pivô e rolou para Mineiro soltar uma bomba no ângulo direito de Sanchez. Os dois gols selaram a classificação. O Chivas precisaria marcar quatro gols no segundo tempo para mudar o rumo da Libertadores. Os últimos 45 minutos seriam de festa para a torcida. E a alegria ficou ainda maior quando, logo aos 3 minutos da etapa final, Souza cruzou na medida para Ricardo Oliveira cabecear e marcar seu primeiro gol na Libertadores: 3 a 0.Para melhorar ainda mais o cenário, Reynoso foi expulso por acertar uma joelhada nas costas de Lenílson. Cantando "olé" a cada toque na bola, a torcida ainda viu Ricardo Oliveira perder um gol que seria épico: após chapéu de Souza no meio-de-campo, o atacante invadiu a área pela direita e bateu cruzado para fora. Mas nem precisava, os 3 a 0 já estavam de bom tamanho para o privilegiado torcedor são-paulino. Ficha técnica:São Paulo 3 x 0 ChivasGols: Leandro, aos 32, e Mineiro, aos 39 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 3 do segundo.São Paulo: Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Edcarlos; Souza, Josué, Mineiro, Danilo (Lenílson) e Júnior (Richarlyson); Leandro e Ricardo Oliveira (Aloísio). Técnico: Muricy Ramalho.Chivas: Sanchez; Reynoso, Francisco Rodriguez e Magallón; Martínez, Juan Pablo Rodriguez, Araujo, Santana (Patlan) e Ramón Morales (Medina); Bravo e Bautista. Técnico: Manuel de la Torre.Árbitro: Daniel Giménez (Argentina) Cartões amarelos: Souza, Araujo, Bravo, Ricardo Oliveira, Santana, Juan Pablo Rodríguez e Bautista Cartão vermelho: Reynoso Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP) Público: 66.860 pagantes Renda: R$ 2.264.780,00

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.