São Paulo patina e apenas empata com o São Bernardo

Tricolor teve atuação abaixo do esperado em mais um jogo em que Muricy realizou testes

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2014 | 23h05

SÃO PAULO - O torcedor otimista dirá que o São Paulo conquistou seu primeiro ponto fora de casa. O pessimista lamentará e dirá que o time perdeu a chance de vencer. No fim das contas, a igualdade por 1 a 1 com o São Bernardo ficou de bom tamanho para o Tricolor, que mais uma vez teve atuação abaixo do esperado.

Sem conseguir encontrar uma equipe competitiva, Muricy Ramalho continua fazendo seus testes. Desta vez resolveu sacar Luis Ricardo, Rodrigo Caio e Ademilson para mandar a campo Paulo Miranda, Maicon e Ewandro. A óbvia intenção era dar mais leveza ao meio-campo e fechar o corredor pelo lado direito.

Até que a ideia, se treinada para valer, pode surtir efeito, mas é imprescindível que Paulo Miranda e Roger Carvalho se entendam e conversem muito um com o outro. Não foi o que aconteceu ontem.

A equipe do ABC forçou suas jogadas pelo lado esquerdo e tirou proveito das falhas dos dois, principalmente de Roger Carvalho, para criar suas melhores chances. No lance do gol Antonio Carlos também colaborou, perdido na área enquanto Marino recebia sozinho para empatar a partida aos 39 minutos – o São Paulo havia aberto o placar aos 23 numa falta que Alvaro Pereira lançou para a área e foi desviada desastradamente por Edson contra seu gol. Antes disso Rogério Ceni já havia trabalhado algumas vezes.

Empolgado pelo apoio do bom público, o São Bernardo saiu para o jogo e ofereceu um teste interessante ao Tricolor. Mesmo não tendo um elenco badalado, mostrou consistência, forçou a marcação na saída de bola e mostrou boas opções ofensivas. O time jogava melhor quando sofreu o gol.

No ataque são-paulino, Ewandro mostrou mais potencial do que Ademilson. O garoto formado nas categorias de base em Cotia teve boa movimentação e se entendeu bem com Luis Fabiano. Mas perdeu duas boas chances. Na primeira, não conseguiu dominar o passe de Luis Fabiano. Na outra, entrou livre e arrematou de maneira bisonha em lance cara a cara com Wilson Júnior.

BIPOLAR

O que impressiona no São Paulo é a capacidade de os jogadores se desligarem nos momentos mais importantes do jogo. Foi só ser mais exigido que o time entregou suas fragilidades e mostrou como está longe de ser confiável.

Outra característica preocupante é a incapacidade de reagir a momentos de adversidade. Assim que tomou o empate o time perdeu o rumo e mais parecia um catado correndo atrás da bola, e não um time profissional. Muito disso passa pela letargia de Ganso, que desperdiça seu enorme talento com uma lentidão da qual precisa acordar. Quando quis jogar, armou boas jogadas. Mas um jogador com seu talento não pode se permitir jogar bem apenas alguns minutos.

Ao menos o São Paulo não perdeu, mas precisará jogar muito mais se quiser aspirar a algo no ano. Domingo, a encrenca é com o Santos.

SÃO BERNARDO 1 x 1 SÃO PAULO

SÃO BERNARDO - Wilson Júnior; Rafael Cruz, Lombardi, Luciano Castán e Dudu (Diogo Acosta); Eduardo, Marino, Edson (Daniel Pereira) e Bady (Jean Carlos); Careca e Gil. Técnico: Edson Boaro.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Roger Carvalho, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Pabon, Luis Fabiano e Ewandro (Osvaldo). Técnico: Muricy Ramalho.

GOLS - Alvaro Pereira, aos 23, e Marino, aos 39 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Luis Fabiano, Paulo Miranda e Antônio Carlos (São Paulo).

ÁRBITRO - Alessandro Darcie.

RENDA - R$ 293.185,00.

PÚBLICO - 12.840 pagantes.

LOCAL - Estádio 1.º de Maio, em São Bernardo do Campo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.