São Paulo pede para Lula apoiar MP

Em encontro hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, o presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouveia, reiterou o apoio do clube à Medida Provisória do Futebol, que altera a Lei Pelé e está para ser votada no Congresso. "Pedimos ao presidente para apoiar a MP", disse Marcelo Portugal, ao deixar o Planalto. Segundo ele, o São Paulo está pronto para se transformar em empresa, caso isso seja exigido dos clubes brasileiros na nova redação da lei. Ele defendeu a extensão ao futebol dos benefícios da Lei Rouanet, que favorece empreendimentos culturais com isenção de impostos. O presidente são-paulino estava acompanhado do atacante Kaká e de outros dirigentes tricolores. Eles deram de presente a Lula, que é um notório torcedor do Corinthians, uma camiseta do São Paulo. E doaram ao programa Fome Zero as camisetas usadas recentemente na partida contra o Santos. A idéia é que o governo possa rifá-las ou leiloá-las para obter recursos para o programa de combate à miséria. A diretoria do clube anunciou ainda que doará 5 toneladas de alimentos e ofereceu o Estádio do Morumbi para sediar eventos, uma vez por semana, às segundas-feiras, para arrecadar fundos para o Fome Zero. A entrega dos alimentos, na forma de cestas básicas, será feita na Prefeitura de São Paulo, em data a ser definida com a prefeita Marta Suplicy, segundo informou Marcelo Portugal. O encontro com Lula foi bastante descontraído. Segundo Kaká, o presidente da República disse que "ficava difícil" vestir a camiseta tricolor sendo ele um corintiano. Mas agradeceu o presente e o convite para assistir à final do Paulistão no sábado. Em clima de brincadeira, os dirigentes do São Paulo disseram que a derrota para o Corinthians na primeira partida foi uma "delicadeza" com Lula, já que viriam a Brasília para o encontro de hoje. "Mas agora vai ser diferente", disse Marcelo Portugal ao presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.