Eduardo Nicolau/AE
Eduardo Nicolau/AE

São Paulo pensa na Libertadores após vitória no Paulistão

Partida decisiva para as pretensões do time na Libertadores é definida pelo técnico como pedreira

BRUNO DEIRO, Agencia Estado

15 de março de 2009 | 21h28

O elenco são-paulino tirou o Estadual da cabeça logo que o juiz Carlos Roberto dos Santos Júnior apitou o fim do jogo contra o Marília. Após usar os titulares na vitória por 2 a 1 Morumbi, o técnico Muricy Ramalho terá de recuperar fisicamente a equipe para pegar o Defensor, quarta-feira, em Montevidéu. O jogo, decisivo para as pretensões do São Paulo na Libertadores, é definido como uma pedreira pelo treinador.

Veja também:

link Washington marca, São Paulo ganha do Marília e consolida 3.º

tabela Campeonato Paulista - Tabela e resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Muricy não poupou elogios ao time uruguaio, que tem campanha idêntica a do São Paulo na Libertadores - um empate e uma vitória em dois jogos (o São Paulo leva vantagem na ponta da tabela pelo saldo de gols). "É um time muito ajustado, que marca forte, um time grande. São detalhes que fazem muita diferença", elogia o comandante são-paulino. "É muito bem armado, tem o mesmo técnico há muito tempo. É uma pedreira", segue elogiando.

Após as duas vitórias consecutivas no Estadual (ontem e quinta-feira, contra o Mirassol, por 5 a 0), o time sabe que estará mais tranquilo para o jogo no Uruguai. "Com a tabela (do Campeonato Paulista) cada vez mais apertada, estes três pontos podem dar tranquilidade", afirmou Washington.

A equipe nunca escondeu que o torneio continental é prioridade máxima para o São Paulo na temporada. "Temos de nos concentrar no que mais importa, que é a Libertadores", afirmou o lateral Jorge Wagner. "Agora é descansar dois dias pra correr do mesmo jeito lá no Uruguai."

Mesmo com a atuação irregular na vitória sobre o Marília, o time saiu do gramado do Morumbi com a certeza de que a classificação às semifinais do Estadual está bem encaminhada. "Dá uma moral para ir ao Uruguai fazer o trabalho, sabendo que aqui no Paulista fizemos a nossa parte", disse o meia Hernanes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.