Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

São Paulo perde na estreia para a Portuguesa por 3 a 1

Esquema com apenas dois zagueiros não dá certo para o time tricolor, que cai diante de sua torcida

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

17 de janeiro de 2010 | 19h00

O São Paulo perdeu de virada para a rival Portuguesa por 3 a 1 na tarde deste domingo, no Morumbi, na estreia de ambos no Campeonato Paulista de 2010, deixando sua torcida desconfiada com as mudanças propostas para a temporada.

Veja também:

especial QUIZ - Você sabe tudo sobre o Paulistão?

lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

som Rádio Eldorado/ESPN - São Paulo 1 x 0 / 1 x 1 Portuguesa / 1 x 2 Portuguesa / 1 x 3 Portuguesa

O esquema 4-4-2 imposto pelo técnico Ricardo Gomes teve prazo de validade de 45 minutos, os iniciais da partida diante da Portuguesa. Com os estreantes Marcelinho Paraíba e Léo Lima no meio-campo, o São Paulo dominou e marcou um gol e desperdiçou outro, numa cobrança de pênalti de Rogério Ceni.

Já na segunda etapa, o time se perdeu com a pressão da Portuguesa e a falta de paciência para trocar passes. Além disso, Richarlyson esteve perdido na cabeça de área ao tentar marcar os meias adversários, não recebendo a ajuda dos outros três jogadores que compuseram o meio-de-campo são-paulino: Hernanes, Léo Lima e Marcelinho Paraíba.

Sem se importar se o rival estava ou não se adaptando a um novo esquema, a Portuguesa do técnico Vagner Benazzi mostrou entrosamento e, com passes simples e infiltrações do meia Heverton - jogou como segundo atacante - venceu seu primeiro clássico do ano, dando ânimo à torcida, insatisfeita com a equipe por conta da campanha irregular no Brasileirão da Série B de 2009.

O JOGO

Empolgada com as contratações, a torcida do São Paulo vibrou com os primeiros 45 minutos da equipe. O esquema com dois zagueiros parecia funcionar com perfeição, com os meias saindo para o jogo. O detalhe negativo foi o erro de posicionamento de Dagoberto, assim como a falta de controle da bola de Washington.

Tendo a posse de bola, o São Paulo poderia ter aberto o placar aos 28 minutos, quando o árbitro deu pênalti num toque de braço de Glauber na bola após cruzamento de Marcelinho Paraíba. Rogério Ceni cobrou e o goleiro Fábio realizou ótima defesa. No rebote, Hernanes fez o mais difícil e chutou por cima do gol.

A chance desperdiçada não desanimou o São Paulo, que abriu o placar aos 39 minutos. Marcelinho Paraíba dominou a bola e, com um chute certeiro, venceu o goleiro Fábio para marcar um belo gol.

 São Paulo1
Rogério Ceni; Jean, Miranda    , André Dias e Jorge Wagner (Júnior César); Richarlyson    , Hernanes (Marlos), Léo Lima e Marcelinho Paraíba; Dagoberto     e Washington (Roger    )
Técnico: Ricardo Gomes
 Portuguesa3
Fábio    ; Thiago Gomes (Henrique    ), Pedro Costa e Domingos; Paulo Sérgio    , Acleisson, Glauber, Marco Antônio e Fabrício; Heverton e Dinei (Ronaldo)
Técnico: Vagner Benazzi
Gols: Marcelinho Paraíba, aos 39 minutos do primeiro tempo;Heverton, aos 9; Marco Antônio, aos 14, e Heverton, aos 48 minutos do segundo tempo

Árbitro: Antônio Rogério Batista do Prado

Renda: R$ 467.148,25

Público: 18.074 pagantes

Estádio: Morumbi, em São Paulo

Aos poucos, no entanto, o ímpeto são-paulino diminuiu e a Portuguesa se aproveitou. Ao perceber certo cansaço e confusão tática no adversário, Benazzi posicionou o meio-campo da equipe rubro-verde mais à frente, pressionando a saída de bola, e o empate ocorreu logo aos nove minutos da segunda etapa, com o meia Herverton, que apareceu sozinho no meio da pequena área após desvio de cabeça de Fabrício numa cobrança de falta pela direita.

Utilizando as pontas para aumentar a área de cobertura dos dois zagueiros são-paulinos, a Portuguesa chegou ao gol da virada aos 14 minutos, numa cobrança de pênalti do ex-são-paulino Marco Aurélio. A infração foi cometida por Richarlyson em cima de Fabrício, o destaque da partida.

Para piorar o panorama são-paulino, Dagoberto agrediu seu marcador e foi expulso sob os gritos de "burro" de sua torcida aos 19. Já Washington, visivelmente fora de ritmo, foi substituído pelo restituído Roger, que pouco fez.

E, de um chute para fora e um passe errado, o jogo foi encerrado com o terceiro gol da Portuguesa, novamente com Heverton, aos 48, aproveitando a falta de organização no sistema defensivo tricolor.

Agora, o técnico Ricardo Gomes tenta consertar os erros de seu time para a partida diante do Mirassol na próxima quarta-feira, às 21h50, fora de casa, enquanto a Portuguesa tenta manter o bom momento diante do Sertãozinho, no mesmo dia, às 17 horas, sem local definido.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.