São Paulo perde para o Figueirense

Campeão da Libertadores? Mundial de Clubes? Tudo isso está muito distante do futebol apresentado pelo São Paulo - cada vez mais acostumado com a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Nesta quarta, o time errou tudo o que tinha direito - especialmente no primeiro tempo - e perdeu por 3 a 1 para o Figueirense, de virada, em Florianópolis. Por sorte, o time de Paulo Autuori, que não ganha há 8 jogos, segue em 19.º lugar, já que os catarinenses, também com 18 pontos, têm pior saldo de gols (-9 a -4).Logo nos primeiros minutos, o Figueirense foi para cima e teve duas chances para abrir o placar. Aos 2, Alexandre arrisca de fora da área, mas a bola passa bem perto do gol. Quatro minutos depois, Adriano pega a defesa totalmente aberta, bate à queima-roupa, mas Rogério Ceni faz excelente intervenção.O meio-campo paulista começou em marcha lenta, errou passes e deu espaços para o adversário. Quando o setor se acertou e marcou a saída de bola dos catarinenses, foi fatal. Aos 22, Josué desceu pela esquerda, levantou para Amoroso, que tocou de cabeça. Edson Bastos defendeu, mas, no rebote, o atacante não perdeu: São Paulo 1 a 0.A limitação do time da casa era clara e o resultado só mudaria se o São Paulo permitisse. Não deu outra. Aos 33, Michel Bastos cobrou falta e acertou uma bomba no ângulo de Rogério Ceni. Era o empate. No lance seguinte, a defesa paulista deu moleza: no cruzamento da direita, Adriano se antecipou a Fabão, tocou para as redes e virou o placar. Abalado, o São Paulo sofreu o terceiro. Michel Bastos driblou Souza com facilidade, cruzou para Adriano, que se antecipou a Alex e marcou mais um para o Figueirense.Na etapa final, o São Paulo tentou reverter o panorama na base do desespero. Hernanes e Vélber - que chegou a treinar em separado e ficar fora dos planos da comissão técnica por alguns dias - entraram nos lugares de Danilo e Fábio Santos. Autuori abandonou o esquema com três zagueiros e substituiu Alex por Alê.Além de coordenação, faltou sorte aos são-paulinos. Aos 12, Roger tabelou com Amoroso, mas o chute parou na trave. Nove minutos depois, Roger pegou o rebote do escanteio, e arriscou de fora da área: desta vez a bola bateu no travessão.O São Paulo pressionou o tempo todo, mas ficou evidente o nervosismo do time, que errou lances fáceis e não conseguiu diminuir. Diante da situação, fica difícil acreditar que o time pode reagir contra o Fortaleza, domingo, no Morumbi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.