São Paulo perto de título inédito

O título não se compara aos três brasileiros ganhos pelo clube (1977/86/91). Muito menos ao bicampeonato da Libertadores da América e, principalmente, ao bi mundial (1992/93). Mas o fato de o time estar próximo de uma conquista inédita na história do clube, e que classifica o vencedor para a disputa da Copa dos Campeões, motiva os jogadores do São Paulo para o jogo desta noite contra o Botafogo, no Morumbi, às 21h40, na finalíssima do Torneio Rio-São Paulo.Jogadores e comissão técnica do São Paulo repetem, com razão, que nada está ganho ainda. Mas no primeiro jogo entre as duas equipes, há uma semana, o São Paulo goleou o adversário por 4 a 1. Nesta quarta-feira, em casa, pode perder por até dois gols de diferença. Se o Botafogo vencer por três gols de vantagem, a decisão acontecerá nos pênaltis. Prevendo essa possibilidade, nesta terça-feira o time treinou cobranças. França, o artilheiro do Rio-São Paulo, com seis gols, mantém sua posição de não cobrar pênaltis e nem treinou. "Para nós, é como se o Botafogo jogasse pelo empate", diz França, lembrando que no jogo do último sábado, em Campinas, a Ponte Preta já vencia por 2 a 0 com apenas 15 minutos de jogo. O São Paulo conseguiu empatar. "Temos de entrar ligados o tempo todo", disse França.Apesar da cautela, não passa pela cabeça dos são-paulinos perder o título esta noite. O time mais uma vez jogará no esquema 3-5-2, com Jean e Wilson na zaga e Rogério Pinheiro na sobra. O volante Alexandre, suspenso, não jogará. O meia botafoguense Rodrigo, que chuta bem de fora da área, receberá marcação especial. Todos os cuidados foram tomados pelo técnico Oswaldo Alvarez para evitar surpresas."Se perdermos será uma catástrofe", lembra o lateral Belletti. "Deixar escapar um título que se tem nas mãos é o que de pior pode acontecer emocionalmente ao jogador". Para Carlos Miguel, os jogadores do São Paulo agora têm "uma responsabilidade a mais": a de não se deixarem contagiar pela euforia da torcida, que deverá lotar o Morumbi. "Para o torcedor, já somos campeões. Nós não podemos colocar isso na cabeça." O São Paulo é o único dos grandes clubes de Rio e São Paulo que ainda não tem esse título, que já teve 23 edições desde 1933. O time foi vice-campeão em 1998, perdendo a decisão justamente para o Botafogo. O torneio deste ano ganhou peso ao classificar o vencedor à Copa dos Campeões, em julho, que por sua vez levará o primeiro colocado à Libertadores da América de 2002, o grande objetivo do São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.