São Paulo: premiação abre nova crise

Além de toda a polêmica a respeito do contrato de Amoroso, os diretores do São Paulo tiveram outro motivo de preocupação dois dias antes da estréia no Mundial: a discussão sobre o prêmio que será pago em caso de conquista do Mundial.Havia muitos boatos sobre o assunto. Nenhum deles confirmado por diretoria ou jogadores. Os dois principais eram os seguintes:1) Os jogadores estariam pedindo um valor de US$ 200 mil, o que corresponderia a quase totalidade do prêmio de US$ 4,5 milhões que o primeiro colocado recebe pelo mundial. O clube estaria oferecendo RS 120 mil reais, que significa um aumento de 50% em relação ao R$ 80 mil que foram pagos pela conquista da Libertadores.2) Os jogadores estariam divididos em seis "panelas" e todas estariam exigindo ter um representante na mesa de negociação, o que seria uma espécie de revolta co "baixo clero" contra o capitão Rogério Ceni, que sempre negocia pelos jogadores. Amoroso desmente esta versão. "O Ceni e que decide essas coisas. Ele e um ótimo representante e nós vamos pensar no jogo, só isso."Esta versão foi ironizada por Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol do clube. "Seis grupos? Como temos 23 jogadores, cada grupo teria quatro pessoas? O Bosco e o Aloisio que chegaram agora estão em qual grupo? Não tem nada disso. Um garoto como o Flávio, que é uma pessoa ótima e que esta aqui nos ajudando pois não foi inscrito, está em que grupo? Não existe essa desunião. Ninguém me procurou para falar de dinheiro. O Ceni conversa com um e outro, fala da proposta e tudo se resolve bem."João Paulo de Jesus Lopes, diretor de planejamento do clube, negou até as reuniõe com Rogerio Ceni. "O São Paulo vai ganhar o Mundial, todos vão receber um bom prêmio e todos sairão satisfeitos. Não tem problema algum entre nós?.Diante de tantas versões, Marcelo Portugal Gouvêa irritou-se bastante após a entrevista em que praticamente selou (ou aceitou?) a saída de Amoroso do São Paulo. Deu gritos com assessores, dizendo que ninguém deveria mais dar entrevistas porque o time é que saia prejudicado com este tipo de notícia.Procurou os assessores de imprensa e queixou-se duramente por haver sido o ultimo a saber da multa do pré-contrato de Amoroso. Gouvêa, com esse assunto, viu sua viagem a Osaka, onde visitou o prefeito Senji Nishiki, ser pouco divulgada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.