São Paulo preocupado com desgaste e calor no interior

Técnico Muricy Ramalho aponta calendário apertado e grupo de jogadores pequeno como problemas

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

07 de março de 2008 | 12h38

O São Paulo está preocupado para o jogo contra a Portuguesa, neste sábado, às 18h10, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP). É que o técnico Muricy Ramalho continua reclamando do calendário apertado e das poucas opções que tem no grupo de jogadores. Ele acredita que terá muitos problemas nos próximos jogos se nenhuma das duas situações mudar.Veja também: Rogério Ceni comemora vitória e vê qualidades no São Paulo"Não seria o ideal, estamos chegando a um momento complicado, porque a distância entre os jogos é pequena, tem muito calor, com viagens pelo meio, nós estamos repetindo demais os jogadores, é uma situação muito complicada, temos que ter cuidado com nosso dia a dia. Estamos atentos ao lado físico", diz o técnico, na entrevista coletiva.Por causa deste ponto de vista e destes problemas, o técnico faz mistério para confirmar o time que joga. No treino da manhã desta Sexta-feira no CCT, não deu pistas de quem jogará principalmente no ataque, já que Aloísio está recuperado de contusão e era titular. A vaga tem sido ocupada por Aloísio. Nem o esquema (4-4-2 ou 3-5-2) ele quis adiantar. "O São Paulo joga com os dois sistemas, conforme o adversário e os jogadores à disposição", se limitou a explicar.Assim, o time titular deve ser: Rogério Ceni; Zé Luís, Miranda, André Dias e Júnior (que entra no lugar de Richarlyson, suspenso); Fábio Santos, Hernanes, Jorge Wagner e Hugo (no lugar de Eder Luís, que não pode jogar no Paulistão); Adriano e Borges ou Aloísio.Já o meio-campista Carlos Alberto, que teve um corte no pé, deve ficar no banco de reservas. Alex Silva fez seu segundo trabalho com bola nesta sexta, mas deve ficar mais um mês fora. E Dagoberto segue em fisioterapia, devendo voltar ao time só na semana que vem.FALTA O CANINDÉMuricy Ramalho deu ainda sua opinião sobre o fato da Portuguesa não estar realizando uma boa campanha no Paulistão. O problema é o Canindé. "É fundamental o estádio, jogar em casa, você só joga fora, isso não existe... O principal motivo para a Portuguesa não estar melhor é isso. E tem o fato de perder o Leonardo [negociado], e o Diogo, que machucou", diz. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.