Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

São Paulo procura Wesley e pode tirá-lo do Palmeiras

Clube já abordou procuradores do jogador, que vê transferência com bons olhos

Daniel Batista e Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2014 | 18h33

SÃO PAULO - Depois de sacudir o mercado com a troca entre Alexandre Pato e Jadson, o São Paulo mira outro rival e se prepara para tirar Wesley do Palmeiras. O Tricolor já conversa com os procuradores do atleta, que não deve permanecer no Alviverde, e pretende acertar um pré-contrato a partir de agosto, quando ele poderá assinar com qualquer clube e sair sem custos.

Quem conduz as negociações pelo lado do Tricolor é o vice de futebol, João Paulo de Jesus Lopes. Ele já entrou em contato com Hugo Garcia, um dos empresários do volante, para saber sobre salários e constatou que se enquadram na política do clube; Wesley recebe cerca de R$270 mil no Palmeiras. O São Paulo sabe que outros clubes também observam o jogador e quer um acerto rápido, mas trata o assunto com sigilo para não atrair o interesse de outros clubes.

Durante a conversa, Hugo Garcia deixou claro para a diretoria tricolor que a prioridade é renovar com o Palmeiras. O contrato do jogador vai até fevereiro e a partir de agosto ele já pode assinar um pré-contrato. "Agora surgem várias especulações. Falaram de Flamengo também, mas o fato é que estamos negociando apenas com o Palmeiras. Ele quer ficar e vamos respeitar a vontade do jogador", disse o empresário.

Outro agente do atleta, Antônio Bahia, explica que já houve uma conversa com o Palmeiras, mas a negociação ainda está em estágio embrionário. "Nem falamos de valores ainda. Só foi falado que ele gostaria de ficar, que precisamos conversar sobre contrato de produtividade, e ficou nisso. Estamos aguardando uma resposta do clube, mas entendemos que agora é um momento de decisão, então devemos voltar a nos falar só depois do Paulista", explicou.

FELIZ PELO INTERESSE

Durante entrevista coletiva nesta terça-feira, o volante tentou se esquivar do assunto, mas admitiu que não teria problemas em jogar no rival. "Não ouvi nada de São Paulo, mas se tiver alguma coisa eu vou ficar feliz, como fiquei quando recebi outras propostas e fiquei", disse. "Mas deixo claro que estou feliz no Palmeiras e quero ficar". O Estado apurou que o volante já tem conhecimento do interesse do São Paulo e vê transferência com bons olhos, mas pretende esgotar as negociações com o Palmeiras. Um dos motivos de satisfação do jogador, é o fato de não precisar mudar de cidade, onde sua família já está ambientada.

Wesley chegaria no Morumbi para brigar por uma vaga no meio-campo e tem bom passe e domínio de bola, características que Muricy Ramalho pede para os jogadores da função. Atualmente, Maicon é o único jogador que tem esses atributos e não tem substitutos no elenco.

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, desconversou quando perguntado sobre o assunto, mas admitiu que Wesley já esteve em pauta antes. "Agora, posso dizer que não temos nada de concreto. O que posso dizer é que antes de ir para o Palmeiras, tivemos um interesse muito forte nele, mas os valores começaram a subir demais e acabamos desistindo. É um jogador muito bom, mas por ora não temos falado com ele", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.