São Paulo promete mais garra na 5ª

A poucos dias do primeiro confronto das semifinais do Campeonato Paulista o São Paulo tem um inimigo interno para combater quase tão forte quando a Portuguesa Santista de Pepe: a falta de garra. Nem mesmo a vitória do time do Morumbi sobre o Santo André por 4 a 2 na quinta-feira, foi suficiente para mascarar o problema. O primeiro a falar do problema abertamente foi o goleiro Rogério Ceni. Depois da vitória sobre o Santo André, o jogador disse ter ficado tão insatisfeito quanto a torcida que chegou a vaiar o time e o técnico Oswaldo de Oliveira. "O torcedor tem razão. Não conseguimos produzir apesar da classificação e da vitória", constatou. "O time precisa evoluir mais, mostrar mais espírito. Faltou falar mais em campo", completou o goleiro, que pediu a presença da torcida no jogo de quinta-feira, às 21 horas, no Morumbi. "Tá faltando garra", também admitiu o atacante Itamar. Para o jogador, o São Paulo pode melhorar bastante o seu desempenho se ele e os companheiros de equipe passarem a tomar iniciativa em campo. E o time pode ter uma injeção de ânimo: o meia Kaká, que não jogou por estar contundido na coxa direita, está praticamente recuperado e deve participar das atividades do time a partir de amanhã. O técnico Oswaldo de Oliveira não vê a falta de garra como um problema comum a todos os seus comandados. "Um ou outro jogador tem apresentado uma abaixada no desempenho, mas não dá para generalizar", diz o técnico, que aposta na conversa para reverter o problema. Mas este não é o único recurso. O treinador aposta na disputa de posições no time como "incentivo" aos jogadores e o primeiro a ser beneficiado pela novidade pode ser o atacante Itamar, que marcou três gols contra o Santo André. "A temporada de caça está aberta", decretou Oswaldo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.