São Paulo promete mais reforços

Numa tentativa de causar impacto e mostrar para a torcida que está se movimentando nos bastidores para dar a volta por cima após o fiasco na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista, a diretoria do São Paulo aproveitou a manhã desta segunda-feira para fazer dois anúncios. Além da apresentação oficial de Nelsinho Baptista como novo treinador (ele ocupa a vaga deixada por Vadão), o presidente Paulo Amaral confirmou também a contratação do meia Leonardo, que já passou pelo clube no início da década de 90 e estava no Milan, da Itália. Ambos assinaram por um ano.A medida faz parte da estratégia são-paulina de voltar ao cenário internacional. O primeiro passo do projeto é vencer a Copa dos Campeões, que será disputada de 23 de junho a 11 de julho, em Maceió e João Pessoa, e, assim, garantir presença na Taça Libertadores da América de 2002. "Temos dados levantados pelo Clube dos 13 de que a torcida do São Paulo já é a terceira do País e a que mais cresce. Por isso, devemos uma satisfação e vamos levar a equipe novamente ao lugar que merece", afirmou Amaral.Para alcançar esse objetivo, a cartolagem tricolor decidiu abrir mão da contenção rígida de gastos e investir mais na montagem do elenco. Além de Leonardo, que alugou o passe e deve apresentar-se entre os dias 17 e 19, os dirigentes ainda esperam pela conclusão da negociação com Rincón e Leandro.No caso do colombiano, o presidente afirmou que o jogador ainda é atleta do Santos e, por isso, não poderia se manifestar. Com relação ao ex-atacante da Portuguesa, Amaral disse que o impasse deve-se às condições impostas pela Fiorentina. "Eles querem vender e nós, o empréstimo", disse. Já Jorginho Paulista foi descartado. "A Udinese pediu US$ 300 mil pelo empréstimo. Com o valor do dólar, isso é inviável."Mudança - Amaral admitiu nesta segunda-feria que, depois de equilibrar o caixa, a diretoria "vai contrair algumas dívidas para trazer jogadores". No entanto, fez questão de lembrar que os cofres do clube "permanecerão fechados", referindo-se ao fato de que não serão cometidos abusos.Mas o dinheiro extra vai ter de sair do clube. Segundo o diretor de Marketing da LG (patrocinadora da equipe), Mário Takuma Kudo, o investimento da multinacional sul-coreana no Tricolor permanecerá o mesmo. "Continuaremos investindo os R$ 6 milhões que estavam previstos em nosso contrato de um ano." No segundo semestre de 2001 e no primeiro de 2002, o São Paulo pode fazer amistosos na Coréia do Sul, que fariam parte dos preparativos do país para receber o Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.