São Paulo promete manter o elenco

A vitoriosa participação do São Paulo na Copa Libertadores terminou. Agora, começa o trabalho da diretoria para manter o grupo que disputará o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão. Com exceção de Luizão, que vai para o Nagoya Gramphus, os dirigentes garantem que não há o risco de perder nenhum atleta, apesar de reconhecer que o assédio sobre o zagueiro Lugano e o lateral-direito Cicinho deve aumentar.Lugano e Cicinho foram os mais valorizados na campanha da Libertadores. O zagueiro uruguaio já havia tido boa participação em 2004, mas foi nesta temporada que se firmou como titular, não só do São Paulo, mas da seleção de seu país.Graças à influência do empresário Juan Figer, um dos donos dos seus direitos federativos, Lugano já teve seu nome comentado até no Real Madrid, da Espanha. No entanto, o zagueiro ainda tem contrato com o São Paulo até abril de 2007.Cicinho também tem longo compromisso com o clube: até o fim de 2008. A diretoria - que detém 60% dos seus direitos federativos - não garante que o jogador ficará até o final do contrato, mas está tranqüila quanto à sua permanência pelo menos até a Copa da Alemanha. A idéia do próprio Cicinho e de seus familiares é seguir jogando bem no São Paulo, garantir vaga na seleção brasileira que vai à Copa de 2006 e só então se transferir para a Europa. Mas o lateral já foi sondado por Bétis, da Espanha, e Porto, de Portugal.O zagueiro Fabão é outro que teria proposta do futebol europeu. Segundo o próprio jogador, clubes russos teriam interesse na sua contratação.Mas a negociação que dará mais trabalho à diretoria é com o lateral-esquerdo Júnior, cujo contrato vence dia 30 de julho. Com o fim da Libertadores, os dirigentes garantem que farão de tudo para segurar o jogador, um dos mais experientes do grupo, pelo menos até o fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.