São Paulo quase tirou Renato do Santos

Até hoje pela manhã Renato ainda não havia assinado seu contrato, mas revelou que tudo estava acertado. A última pendência era a cláusula que libera sem multa o jogador no meio do ano se aparecer uma proposta de algum clube do exterior. O Santos relutou muito em aceitar essa imposição do atleta e já tinha obtido sucesso em relação a Léo, que pretendia o mesmo benefício. O argumento definitivo apresentado à última hora pelo procurador Cláudio Guadagno, foi uma proposta do São Paulo, três vezes melhor que a santista. Renato manteve sua posição de ficar na Vila Belmiro caso não surgisse uma boa proposta do exterior. "Sempre deixei claro que gostaria de permanecer no Santos se não aparecesse uma proposta de algum grande clube europeu, pois tivemos um ano muito bom em 2003, apesar de dois vice-campeonatos, o elenco foi mantido e gostaria muito de ficar". Outro ponto que pesou na decisão de Renato foi a vitrine que o Santos representa. "Cheguei na seleção jogando pelo Santos e quero ser sempre lembrado", disse ele. Como não deu para se transferir para a Europa agora, ele vai investir na Libertadores da América para se valorizar ainda mais numa negociação no meio do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.