São Paulo quer Brasileirão e Mundial

O São Paulo quer estrear no Mundial de Clubes, dia 14 de dezembro, como tricampeão da Libertadores e tetracampeão brasileiro. A conquista do título nacional, que o clube não tem desde 1991, é considerada, pela diretoria e pelo técnico Paulo Autuori, como a melhor maneira de se ter um time competitivo no Japão. "Futebol é o ato cotidiano de exercício, para jogar bem, tem de jogar sempre", diz Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol. "Por isso, vamos correr atrás desse título, apesar da diferença de oito pontos para o líder."A opção pelo Campeonato Brasileiro faz com que o São Paulo deixe em segundo plano a disputa da Copa Sul-Americana, em que estréia dia 17 de agosto, em Porto Alegre, contra o Inter. "A Sul-Americana perde um pouco de importância quando já se ganhou a Libertadores. Nossa meta real é o Brasileiro", diz Marco Aurélio.O que poderia fazer o clube mudar de foco é o dinheiro que pode ser ganho com a Sul-Americana, mas mesmo esse aspecto não cria muito entusiasmo. "Os prêmios chegam a US$ 700 mil (R$ 1,68 milhão) para o campeão. É como uma mini-Libertadores", diz João Paulo de Jesus Lopes, diretor de planejamento. A Libertadores rendeu US$ 1,61 milhão (R$ 2,25 milhão).O prêmio do Mundial de Clubes é muito maior. Se a Sul-Americana vale menos que meia Libertadores, o Mundial tem premiação quase três vezes maior para o campeão. "São US$ 4,5 milhões (R$ 10,8 milhões) para o campeão e US$ 3,5 milhões (R$ 8,4 milhões) para o vice", diz Lopes. "Um dinheiro considerável para o futebol deficitário que se pratica hoje em dia."Não fica só nisso. O total de premiação é de US$ 15 milhões (R$ 36 milhões). Os outros US$ 7 milhões (R$ 16,8 milhão) são divididos entre os seis clubes pela participação no campeonato.A luta do São Paulo para ter um time forte no final do ano é manter Lugano e Cicinho, que devem receber ofertas da Europa. E renovar o contrato de Júnior. "Com o Júnior, já estamos conversando e espero ter uma definição rapidamente", dizia, ainda na semana passada, Juvenal Juvêncio, diretor de futebol.Cicinho e Lugano - Quanto a Cicinho e Lugano, é lógico que o clube não consegue rivalizar com ofertas de clubes europeus, mas há a crença, talvez exagerada, que os dois possam ficar embalados pela possibilidade de disputar o Mundial.Diego Tardelli foi definido como o novo titular do ataque, em lugar de Luizão, mas há a possibilidade de uma nova contratação. Isso dependerá da evolução de Roger e da possibilidade de Grafite jogar o Mundial, graças a uma recuperação física que tem impressionado os médicos do clube.O que se prevê é a saída de dois jogadores do elenco. "O time está valorizado e o assédio aumenta. Estatisticamente, sempre saem alguns jogadores. Se houver ofertas, serão analisadas", diz Marco Aurélio, que se notabilizou nos últimos dias por frases consideradas depreciativas pelos diretores do Atlético-PR. Se o pessoal do Liverpool for tão sensível como os paranaenses, terão motivos para se irritar. "Não gosto de futebol inglês. É muito feio. Eles gostam de 0 a 0 e nós somos muito mais técnicos", diz Marco Aurélio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.