Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

São Paulo quer iniciar nova reação contra o Atlético-MG

'Nosso time tem de ter bom comportamento, voltar a jogar futebol', afirma o técnico Ricardo Gomes

MARCIUS AZEVEDO, Jornal da Tarde

13 de julho de 2009 | 23h09

O Atlético Mineiro pode ser o rival ideal para o São Paulo reagir. E não é loucura tentar dar a volta por cima diante do líder do Brasileiro. É que o adversário costuma provocar alguma reação positiva no Morumbi. O que pode ser bom em momento de instabilidade.

 

Veja também:

linkNelson Saavedra reafirma polivalência no São Paulo

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Nos dois últimos anos, foi após enfrentar os mineiros que o São Paulo acordou na competição nacional para ser campeão. Uma resposta diante do primeiro colocado é tudo o que o técnico Ricardo Gomes precisa do elenco. A 14.ª colocação incomoda e muito o clube tricampeão brasileiro.

"A gente não pode escolher adversário. Será um jogo do atual campeão contra o líder e o nosso time tem de ter bom comportamento, voltar a jogar futebol, que foi o que fizemos no segundo tempo diante do Flamengo", disse nesta segunda-feira o treinador, referindo-se ao empate por 2 a 2 neste domingo. "Será uma boa encarar o líder agora, precisamos disso", completou.

As palavras são sabias se for levado em consideração o histórico recente do São Paulo. Em 2007, o Atlético venceu por 1 a 0, no Morumbi. A derrota fez o então técnico Muricy Ramalho colocar o cargo à disposição. Ele ficou e com o gesto conseguiu uma arrancada que resultou na conquista do bicampeonato.

A situação se repetiu em 2008. No dia 3 de setembro, o São Paulo ficou no empate por 1 a 1 com o Atlético, no Mineirão. A atuação horrível, como definiu Muricy na época, fez com que o grupo se reunisse no CT da Barra Funda para colocar tudo em pratos lindos. Mais uma vez depois de enfrentar os mineiros o time reagiu, não perdeu mais e acabou conquistando o inédito tri.

"Se voltarmos no tempo, veremos que a virada do São Paulo aconteceu em outras ocasiões. A diferença para o líder é de dez pontos e ainda temos dois confrontos diretos", analisou o técnico. "Não precisamos nos preocupar com isso, e sim em manter a qualidade do time. O principal é voltar o padrão de jogo. Não adianta pensar em título agora".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.