São Paulo quer recuperar tranqüilidade

Que o jogo entre Figueirense x São Paulo, às 21h45, em Florianópolis (SC), é decisivo ninguém discorda. Principalmente porque quem vencer terá a chance de sair da zona do rebaixamento. Mas o técnico Paulo Autuori não considera o confronto como "jogo de seis pontos". "Isso não existe, é um dos maiores clichês do futebol", afirma. "Precisamos vencer, mas não adianta nada se no jogo seguinte (contra o Fortaleza) não ganharmos também", raciocinou o treinador, um dos únicos que mantém o otimismo em relação à má fase do time no Campeonato Brasileiro - é o 18.º colocado, com apenas 18 pontos - e a garantir que não há porque se preocupar pelo fato de estar entre os quatro piores da competição. "É apenas uma fase ruim pela qual estamos passando."Mas a série de sete jogos sem vencer já começa a abalar o normalmente tranqüilo ambiente do clube. Segunda-feira, o presidente Marcelo Portugal Gouvêa esteve no CT da Barra Funda e reclamou das últimas exibições da equipe. Nesta terça, Autuori teve demorada conversa com o elenco: por quase uma hora, falou a respeito dos erros - especialmente defensivos - que comprometeram o resultado nos jogos contra Brasiliense, Juventude, Palmeiras e Goiás."Não estamos tendo a mesma atenção na defensiva, nem o instinto para matar o jogo que apresentamos em outras ocasiões", disse o treinador, em clara referência ao desempenho da equipe na Copa Libertadores. Por isso, exibiu uma fita de vídeo com jogadas do time no torneio continental e dos equívocos cometidos nas últimas rodadas do Brasileiro.A concentração que exige de seus comandados, Autuori mostrou na hora de escalar o time: descartou o lateral Cicinho, que chega nesta quarta da Itália, depois de acertar a documentação para conseguir o passaporte europeu. "A viagem dele já estava prevista, mas quero todos focados apenas no jogo contra o Figueirense", explicou Autuori. "Ele fica treinando e aguarda a partida de domingo."Sem Cicinho, Souza ganha nova chance na lateral-direita. Fábio Santos, na esquerda, atua no lugar de Júnior, suspenso. Richarlyson, expulso contra o Goiás, dá lugar ao atacante Roger Rodrigues, que atuará fixo na área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.