São Paulo recebe empate como derrota

Para o time do São Paulo, o empate por 1 a 1 com o Corinthians, neste domingo, no Morumbi, foi como uma derrota, a julgar pelas palavras do goleiro e capitão da equipe, Rogério Ceni. ?O Corinthians saiu mais satisfeito. Pelo que a gente vinha jogando, pelas chances que a gente criou, sem dúvida, esse empate foi melhor para eles do que para nós?, disse o camisa 1, que reclamou bastante da arbitragem de Paulo César de Oliveira.?Tivemos um pênalti claríssimo, que eu não entendi até agora por que não foi marcado. O Paulo César errou contra o nosso time e isso não vem de hoje. Em lances capitais, em outras partidas, ele também errou contra o nosso time. É essa falta de critério que nos prejudica?, disparou Ceni.Fábio Simplício, o protagonista do suposto pênalti não assinalado, também reclamou de Paulo César de Oliveira. O volante afirmou que foi derrubado por Valdson, em lance ocorrido aos 35 minutos de jogo. Fábio Simplício disse também que o próprio zagueiro corintiano admitiu a infração. ?Todo mundo viu que eu fui derrubado. Até o Valdson me falou que foi pênalti!?O técnico Cuca foi outro que reclamou da não marcação do penal. ?Todo mundo no estádio viu que foi pênalti?, disse. Fazendo coro com as palavras de Rogério Ceni, o treinador afirmou que o São Paulo deveria ter vencido porque criou ?15 chances claras de gol?.Cuca reclamou da atitude dos jogadores que formavam a barreira. Na cobrança de Renato, todos pularam e a bola passou por baixo, surpreendendo Rogério Ceni.?Hoje, toda barreira pula. Mas tem de discernir, ver quando o batedor vai chutar forte ou colocado. O Renato veio correndo para bola, não tinha como bater colocado! Então é óbvio que não podia pular.?Para o atacante Diego Tardelli, o time sofreu um pouco com a ausência de seu artilheiro, Luís Fabiano, que está com a Seleção Brasileira. E os números mostram que a ausência dele realmente faz falta: com Luís Fabiano, o aproveitamento de pontos em 2004 é de 84% (19 vitórias, um empate e três derrotas); sem Luís Fabiano, o percentual de pontos conquistados cai para 50% (duas vitórias, três empates e uma derrota). ?Um jogador como o Luís Fabiano faz falta para qualquer equipe?, disse Diego Tardelli, provável herdeiro da camisa 9, caso Luís seja mesmo negociado com o futebol europeu (o Barcelona fará uma proposta oficial nesta semana ao São Paulo).RICARDINHO - A diretoria esta semana vai tomar providências em relação a Ricardinho, que havia assinado em janeiro um distrato de 12 meses com o São Paulo, concordando em não jogar nesse período por outro clube brasileiro, mas neste domingo vestiu a camisa do Santos no empate (3 a 3) contra o Atlético-MG.Nesta segunda-feira à noite, um ?expressinho? do clube viaja para Los Angeles, nos Estados Unidos, onde na quarta-feira enfrenta o Galaxy, em amistoso. O time será comandado pelo auxiliar Milton Cruz. Do elenco profissional, viajam os goleiros Flávio e Mateus, os laterais Lino e Fábio Santos, o zagueiro Lugano, os volantes Ramalho e Renan, os meias Marquinhos e Vélber e o atacante Jean. E os juniores Alê, Flávio, Rafinha, Marcelo, Robert e Fabrício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.