Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo

São Paulo receberá Mundial de Skate Park com os principais atletas do esporte

Torneio será gratuito para o público entre os dias 10 e 15 de setembro

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2019 | 11h20

Os skatistas brasileiros terão uma ótima oportunidade para competir em casa na corrida olímpica para os Jogos de Tóquio. O Mundial de Park, torneio que dá a maior pontuação entre todas para o campeão - 80 mil -, será realizado em São Paulo, entre 10 e 15 de setembro. Os grandes nomes do skate estarão lá e a expectativa é pela presença de 200 atletas, no masculino e feminino.

"Esse campeonato mostra a evolução do skate no Brasil. Não tenho dúvida que o evento vai relevar a confirmar grandes atletas, que em Tóquio terão um momento histórico. O Brasil será medalhista nos Jogos nessa modalidade", apostou o governador João Dória. O prefeito Bruno Covas ressaltou a importância de receber esse evento. "A cidade de São Paulo se orgulha de receber esse evento. Temos 9 milhões de praticantes de skate no Brasil, sendo um milhão apenas em São Paulo."

Só para se ter uma ideia, o campeão mundial acumula 80 mil pontos e o vice, 64 mil. Um vencedor de uma etapa do Pro Tour ganha 60 mil, enquanto o melhor atleta em etapas 5 estrelas recebem 40 mil. Ou seja, o Mundial de Skate Park, que será realizado no Parque Estadual Cândido Portinari, será uma oportunidade única para carimbar o passaporte para o Japão.

"Estou muito orgulhoso de estar aqui. Acreditamos que o Brasil pode ser a catedral do skate no mundo. Estamos felizes com o apoio que estamos tendo aqui em São Paulo, até porque não somos o futebol. Mas somos a modalidade favorita dos jovens, e são eles que determinam o esporte e suas regras. Numa Olimpíada, o ouro pode vir do filho do Donald Trump ou do filho de um favelado", afirmou Sabatino Aracu, presidente da World Skate.

Nesta quinta-feira, a realização do Mundial de Park foi anunciada no Palácio dos Bandeirantes, em uma cerimônia que teve a presença de João Doria (governador do Estado de São Paulo), Bruno Covas (prefeito de São Paulo), Sabatino Aracu (presidente da World Skate), Eduardo Musa (vice-presidente da Confederação Brasileira de Skate), Bruno Cremona (gerente de Patrocínios e Eventos da Oi), além de atletas da modalidade olímpica e outras autoridades.

"É um dia muito especial para a confederação e para a comunidade do skate", comentou Duda Musa. Para Diogo Castelão, idealizador do STU, o evento será histórico. "O Brasil tem muito talento, muito potencial. O skate brasileiro tem crescido sem perder a sua essência. A gente faz parte de um sonho grande e queremos fazer desse evento em setembro algo histórico e impactante, para mostrarmos ao mundo o potencial do Brasil", disse.

O Mundial de Park será gratuito para o público e também terá uma programação voltada para a cultura urbana, incluindo música, arte, moda e gastronomia, bem aos moldes do que costumam ser os eventos da plataforma Skate Total Urbe (STU). O patrocínio será da Oi e o Mundial terá apoio institucional do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo e do Comitê Olímpico do Brasil (COB), em uma realização da Confederação Brasileira de Skate (CBSk) com a Rio de Negócios.

O investimento para receber o Mundial de Park está entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões (entre R$ 7,7 milhões e R$ 11,6 milhões), mas o valor final ainda não está fechado. "O investimento é feito através de patrocinadores. Ainda estamos na fase final de produção, então não tenho um valor final. É importante entender que esse dinheiro é 100% privado", comentou explicou Musa.

Para Dória, o evento tem tudo para popularizar ainda mais o skate pelo Estado. "São Paulo tem o maior número de skatistas e de pista homologadas. Esse evento vai certamente impulsionar quem está chegando e vai ajudar outros municípios para implantarem mais pistas. Vejo como um grande impulso para o esporte", disse.

O prefeito Bruno Covas explicou que o retorno que o evento vai gerar para a cidade será medido depois de sua realização em um levantamento da SPTuris. "Muito mais do que o retorno do evento em si, é importante colocar a cidade de São Paulo nesse roteiro", afirmou, ciente de que os grandes eventos esportivos ajudam a atrair investimento e divulgam a imagem da cidade mundialmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.