São Paulo recua e desiste de reclamar de árbitro na FPF

O receio de retaliações por parte da Federação Paulista de Futebol (FPF) e de seu Departamento de Arbitragens fez a diretoria do São Paulo recuar e relevar o erro de Cleber Wellington Abade no empate com o Paulista. Ao contrário do que afirmaram os dirigentes logo depois do jogo em Jundiaí, o clube não fará nenhuma reclamação contra Abade nem vetará sua presença em jogos do time. ?As pessoas estavam de cabeça quente, tudo o que aconteceu foi uma fatalidade?, minimizou João Paulo de Jesus Lopes, assessor da presidência. Depois do jogo, um dos mais indignados era o vice-presidente de Futebol, Carlos Augusto Barros e Silva - tomou posse há poucos dias -, que chegou a sugerir o veto a Abade nos jogos do time. ?Ele estava exaltado?, opinou Lopes. ?O Abade não é desonesto: tem dado azar nas nossas partidas, mas também tem falhado em outros jogos.? Ao invés de criticar o quadro de árbitros da Federação, os são-paulinos dizem confiar na competência dos dirigentes. ?Respeitamos o Coronel Marinho, antes mesmo de ele ser o responsável pelas arbitragens paulistas?, disse Lopes. ?Se houver algum problema, a Federação estará atenta?, discursou. Negociação por Fábio Santos enrosca O São Paulo rechaçou a primeira contraproposta do Cruzeiro, que queria metade dos direitos federativos do volante Renan e do lateral-esquerdo Fábio Santos para liberar o volante que também se chama Fábio Santos para o clube paulista. "Nós manifestamos o interesse, mas o Zezé Perrella fez determinada exigência que não nos atende. Pode evoluir, mas por enquanto não há negociação. Queremos conversar mais", garantiu nesta quinta-feira Jesus Lopes. O dirigente também voltou a falar que a diretoria segue trabalhando sem contar com Mineiro, apesar de ter esperanças quanto a um retorno dele até a próxima quarta-feira, dia 31, quando se encerra o prazo de contratações para clubes da Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.