Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

São Paulo reserva estádio do Pacaembu para sete partidas

Reforma faz time só voltar ao Morumbi no dia 13 de março

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 Janeiro 2016 | 14h45

O São Paulo já reservou o Pacaembu para realizar no local sete partidas no começo da temporada 2016. Com o Morumbi fechado para a troca do gramado até o começo de março, o clube definiu o estádio municipal como palco dos primeiros jogos da temporada. Seis datas estão fechadas e a outra depende da confirmação da vaga no time na fase de grupos da Copa Libertadores.

A tendência é que o primeiro jogo do time no Morumbi no ano seja o clássico com o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista, no dia 13 de março. Até lá o São Paulo vai receber no Pacaembu o jogo com o Cesar Vallejo, do Peru, pela Copa Libertadores, no dia 10 de fevereiro, e outros cinco confrontos pelo Estadual: Água Santa (6/2), Rio Claro (21/2), Novorizontino (24/2), Mogi Mirim (1/3) e São Bernardo (5/3).

A outra data reservada pelo clube do Morumbi é o dia 17 de fevereiro, quando o São Paulo pode receber o The Strongest pela abertura da fase de grupos da Copa Libertadores. O confronto só será realizado caso o time do Morumbi passe pelo Cesar Vallejo na etapa preliminar, em jogos de ida e volta. O primeiro será no dia 3, em Trujillo, e o outro no dia 10, também no Pacaembu.

A direção do estádio municipal confirmou a reserva de datas do São Paulo e trabalha ainda com a utilização pelo clube de pelo menos mais seis dias de treinos. Essas atividades são nas vésperas da partidas, quando o elenco poderá fazer o reconhecimento do gramado. Assim como o time do Morumbi, os adversários também poderão treinar no Pacaembu.

Nesta terça-feira pela manhã o São Paulo realizou o primeiro trabalho no local. O técnico Edgardo Bauza comandou um jogo-treino quando o Boa Esporte, vencido por 1 a 0 pela equipe paulista, com gol do lateral-direito Bruno. A comissão técnica utilizou a atividade para fazer os jogadores se ambientarem ao local onde vão jogar neste começo de ano. "Aqui a torcida comparecerá, estará mais perto da equipe e fará uma pressão muito maior do que no Morumbi. Será benéfico para nós. Os jogadores gostam muito daqui por causa do gramado e do campo, já que ele favorece o toque de bola", elogiou o volante Hudson.

Fora a reforma no gramado, o Morumbi também vai receber um evento que impossibilita a realização de jogos. No fim de fevereiro, a banda inglesa Rolling Stones vai fazer duas apresentações no local, nos dias 24 e 27 de fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.