Divulgação
Divulgação

São Paulo rompe com empresários e negocia Dudu com Dínamo

Ucranianos chegam ao Brasil no dia 7; Tricolor acusa agentes do jogador de tentar forçar venda para Corinthians

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

02 de janeiro de 2015 | 15h33

O São Paulo terá um encontro com emissários do Dínamo de Kiev no próximo dia 7 para tentar selar a compra de Dudu. O clube se irritou com a postura dos empresários do atleta e passou a negociar diretamente com o clube ucraniano, que gostou da proposta apresentada. O Corinthians também terá um encontro com representantes do Dínamo e a novela, enfim, deve ganhar seu último capítulo.

Na opinião dos dirigentes, Bruno Paiva, Marcelo Robalinho e Marcelo Goldfarb estão forçando para que o jogador acerte com o Corinthians apesar do Alvinegro estar com dificuldades em garantir o pagamento dos R$13 milhões por 60% dos direitos do atacante. A irritação maior é com Paiva, que é quem está à frente das negociações.

Desta forma, o vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro procurou o Dínamo pessoalmente e ofereceu R$11 milhões por 50% dos direitos do atacante. A oferta já havia agradado aos ucranianos, mas o dirigente não gostou da postura dos empresários e passou a ignorá-los.

A ideia do São Paulo era anunciar Dudu até segunda-feira, dia 5, mas os problemas recentes prorrogaram o prazo. Ainda assim, é grande a confiança de que o negócio seja selado e o Tricolor consiga passar uma rasteira no Corinthians, que tinha tudo acertado há algumas semanas. Nem mesmo uma eventual entrada de Andrés Sanchez no negócio parece preocupar os dirigentes. O Tricolor se dispõe a pagar o jogador em cinco parcelas, enquanto o Alvinegro quer quitar o valor em oito vezes. A oferta são-paulina agrada mais, pelo menos por enquanto.

O atacante foi um pedido de Muricy Ramalho para a diretoria para ter uma opção de velocidade para o ataque, já que Osvaldo e Ademilson não agradaram em 2014 e só dependem de interessados para serem negociados. Dudu fez 35 jogos pelo Grêmio e marcou três gols.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.