São Paulo rompe com Federação Paulista de Futebol

O escândalo de arbitragem envolvendo a última rodada do Campeonato Brasileiro fez o São Paulo anunciar neste domingo que a equipe rompeu relações com a Federação Paulista de Futebol (FPF). O clube não gostou da atitude do presidente da Federação, Marco Polo del Nero, que comunicou à Comissão de Arbitragem da CBF uma suspeita de suborno ao árbitro Wagner Tardelli."Antes de ir à CBF, ele deveria ter falado com o seu filiado. Foi um comportamento inaceitável. Nosso representante dentro da FPF deixa o cargo", afirmou Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, em entrevista concedida à rádio Jovem Pan. "Esta afirmação é a posição do São Paulo definida com o presidente Juvenal Juvêncio", completou.O Ministério Público do Estado de São Paulo emitiu nota neste domingo confirmando que foi o presidente Marco Polo Del Nero quem levantou suspeitas sobre a arbitragem da partida decisiva entre Goiás e São Paulo, no Distrito Federal."O São Paulo está inconformado com a forma como isso foi tratado e se sente profundamente afetado. A nossa honra está posta em jogo. Pesa contra o São Paulo uma suspeita de procedimento incorreto. Queremos a apuração e o esclarecimento do caso. Isso não vai acabar em pizza", avisou o dirigente são-paulino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.