Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

São Paulo se prepara para a vida sem Kaká em 2015

Diretoria e comissão técnica avaliam que saída do meia trará perda irreparável para o ambiente

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2014 | 07h00

A despedida de Kaká do São Paulo não será sentida só no campo técnico. A saída do meia, que em janeiro se transfere para o Orlando City, terá enorme impacto interno e comissão técnica e diretoria ainda não sabem como - e se - poderão repor a perda.

Nos seis meses que passou no Morumbi, Kaká rapidamente ganhou os colegas e se transformou numa das principais vozes do elenco. Admirado pela técnica e pelo passado vencedor, virou o modelo a ser seguido pela dedicação apresentada em todos os momentos.

Com a condição física mais frágil que os demais, era sempre o primeiro a chegar nos treinos e deixou os companheiros perplexos. ". Os outros chegavam de manhã e viam ele treinando e pensavam: 'Se ele que já foi melhor do mundo faz isso, eu vou começar a fazer também'", afirma o técnico Muricy Ramalho. O impacto atestado pelo técnico é compartilhado pelos atletas, que em conversas informais nunca esconderam a admiração pelo companheiro.

Kaká também é apontado como responsável direto pelo crescimento de Paulo Henrique Ganso e Alexandre Pato na equipe. O atacante, que foi seu companheiro de Milan, desencantou justamente quando Kaká passou a orientá-lo dentro e fora de campo; já Ganso tem no camisa 8 um dos seus ídolos de infância e recebeu dicas para ser mais participativo quando não estivesse com a bola nos pés. Coincidência ou não, terminou o Brasileiro como um dos melhores da competição.

A dúvida agora é como o Tricolor irá lidar com sua saída. O consenso é que a ascendência de Kaká sobre o grupo era maior até mesmo que a de Rogério Ceni, que embora tenha enorme respeito de todoss, muitas vezes visto como "diferente" e mais alheio às brincadeiras.

Em campo, o substituto tem nome e sobrenome: Michel Bastos. Tecnicamente o jogador rendeu até mais que o astro e está garantido na equipe que começará 2015 jogando. Mas a diretoria sabe que um dos principais responsáveis pelo crescimento do time no segundo semestre estará fora. Por enquanto, a perda é irreparável.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCKaká

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.