São Paulo se prepara para os pênaltis

O jogo com o São Caetano, domingo, pelas quartas-de-final do Campeonato Paulista, vai ser o mais difícil do ano. É o que pensam os jogadores do São Paulo, que se preparam para uma verdadeira batalha no Morumbi. A comissão técnica descarta o favoritismo e, nesta quinta-feira, mandou que os atletas treinassem insistentemente as cobranças de pênalti.De acordo com boa parte dos são-paulinos, a possibilidade de a partida terminar empatada é grande. "Acho que o jogo vai ser até mais difícil do que os dois que fizemos contra a LDU (pela Libertadores)", afirmou o meia Souza. O atleta revelou que muita gente no elenco não sabia que, em caso de igualdade no tempo normal e na prorrogação, a decisão irá para os pênaltis. "Havia essa dúvida, muitos achavam que teríamos a vantagem do empate por termos feito melhor campanha, mas já está tudo esclarecido."O São Caetano não traz boas recordações para o São Paulo. A equipe da capital nunca derrotou o adversário do ABC atuando no Morumbi. No ano passado, por exemplo, houve empate por 1 a 1, pelo Brasileiro. A única vitória são-paulina ocorreu no Anacleto Campanella, no segundo turno da competição nacional de 2003. E foi sofrida: 1 a 0, gol de Luís Fabiano, de pênalti. "Se repetirmos esse resultado, já vai estar ótimo", disse o artilheiro.O discurso cauteloso do grupo não representa apenas jogo de cena, mas respeito. Embora não digam publicamente, os dirigentes e o técnico Cuca estavam torcendo para que o Marília fosse o oponente de domingo e não o São Caetano. Acreditam que o time do interior não daria tanto trabalho."Não esperávamos pegar uma equipe forte como a do São Caetano já nas quartas-de-final", comentou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que não dará prêmio aos jogadores por vitória sobre o São Caetano. "Só haverá premiação se o time for campeão." Os são-paulinos acompanharam o duelo entre o time do ABC e o América, no México, no início da madrugada desta quinta-feira, pela Libertadores, e consideraram injusta a derrota dos brasileiros. "O São Caetano teve boas oportunidades de gol", analisou o goleiro Rogério Ceni. Grafite acredita que o tropeço no México não vai abalar o São Caetano. Acha, até, que pode ter efeito contrário. O atacante, contratado do Goiás há três meses, deu risada quando soube que Vampeta havia dito que detinha parte de seus direitos. "Não tem nada a ver, meu contato com o Vampeta foi há muito tempo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.