Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

São Paulo se reencontra com as vitórias no Morumbi e vai ao G-4

Equipe faz 1 a 0 sofre o Atlético-PR e Osorio adia decisão do futuro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

03 de outubro de 2015 | 23h02

O São Paulo voltou a vencer no Morumbi pelo Campeonato Brasileiro depois de dois empates frustrantes. O time voltou a perder muitas oportunidades e flertou com um novo tropeço e foi salvo por um gol do atacante Rogério, que garantiu o 1 a 0 contra o Atlético-PR, neste sábado. A festa da torcida foi completa com o técnico Juan Carlos Osorio adiando a decisão sobre seu futuro para quarta-feira, na representação do elenco.

O resultado fez o time passar a noite no G-4 da competição. O São Paulo só volta a jogar no dia 14, contra o Fluminense, no Rio, e nesses dez dias o time deveria trabalhar mais nas finalizações. Criar chances não tem sido o empecilho da equipe. Aproveitar, sim, é o grande nó que segura o clube de pontuar mais e subir na tabela.

A chance de pernoitar no G-4 e encerrar o jejum de três rodadas sem ganhar no Brasileiro fizeram o São Paulo começar o jogo disposto. Bastante posse de bola, boa movimentação pelas laterais e várias chances foram criadas. Até aí parecia ótimo, mas a grande falha do time estava no preciosismo na hora de finalizar. Um toque a mais ou uma certa insegurança para arriscar custaram a perda de várias oportunidades.

Apesar dessas críticas, a equipe merecia ter aberto o placar logo no começo. Aos 12 minutos, Pato chutou, o goleiro deu rebote e Rogério completou para as redes. O árbitro marcou impedimento inexistente no lance, pois o zagueiro Kadu dava condição.

O gol mal anulado deixou o São Paulo mais ofensivo. Como o Atlético-PR também não veio apenas para se defender, o jogo era movimentado e com muitos espaços à disposição. A avenida para o Tricolor era com Centurión. O argentino estava sempre livre e avançava ao seu estilo: baixava a cabeça e encarava sozinho os marcadores.

A equipe chegou diversas vezes à área atleticana, quase sempre em jogadas com a participação do argentino. O problema era sempre a insistente decisão de querer conduzir a bola mais um pouco, ou passar para algum companheiro. O técnico Juan Carlos Osorio sempre pede para a equipe arriscar mais chutes de longe e ficou irritado com o desperdício de chances.

O Atlético-PR também era perigoso e assustou o São Paulo quando Daniel Hernández tocou por cima de Ceni. A defesa afastou de cabeça a bola quase em cima da linha.

Após o intervalo Osorio mexeu no time e colocou Rogério na direita para pressionar o Atlético-PR por onde havia mais espaço. Na primeira descida dele, o atacante cruzou e na sobra da defesa, quase na pequena área, Thiago Mendes conseguiu chutar por cima.

A chance perdida fez a torcida mudar de comportamento. Nos ataques do São Paulo  grito que vinha das arquibancadas era somente o pedido mais finalizações. Ser eficiente e jogar com o futebol feio evitaria irritar quem está no estádio e vê tanto desperdício.

De tanto errar e perder chances o São Paulo foi premiado. Ganso errou uma bicicleta e a bola sobrou para Rogério completar, aos 26 minutos do segundo tempo. O atacante  mostrou mais uma vez o quanto é decisivo. Em sete jogos pelo clube, foram três gols e uma assistência.

A vantagem representou um alívio. A equipe tem sofrido para marcar gols e isso custou, inclusive, as vitórias em clássicos com o Palmeiras e o Corinthians, quando acertou três bolas na trave.

Logo depois do gol Osorio mexeu e colocou o zagueiro Edson Silva para segurar o resultado, embora não tivesse sofrido mais sustos. O Atlético-PR vem em baixa no Brasileiro, chegou à quinta derrota seguida e passou o segundo tempo inteiro sem assustar Rogério Ceni.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO X ATLÉTICO-PR

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Matheus Reis; Thiago Mendes, Hudson e Ganso (Wesley); Centurión (Auro), Alexandre Pato e Rogério. Técnico: Juan Carlos Osorio.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Eduardo, Vilches, Kadu e Sidcley; Hernani (Ewandro), Otávio, Bruno Mota e Hernández (Nikão); Marcos Guilherme e Crysan (Walter). Técnico: Sérgio Vieira.

Gols - Rogério, aos 26 minutos do segundo tempo.

Juiz - Igor Benevenuto.

Cartões amarelos - Hernani e Eduardo.

Renda - R$ 287.345,00.

Público - 11.066 pessoas.

Local - Morumbi, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.