São Paulo será obrigado a vender Kaká

Por causa dos problemas financeiros do clube e da conseqüente dificuldade em honrar pagamentos, sobretudo relacionados ao meia Ricardinho e ao atacante Luís Fabiano, a diretoria do São Paulo está diante de situação difícil. Embora não queira, não vê outra alternativa a não ser negociar a principal estrela do time, o meia-atacante Kaká. Pior, terá de aceitar proposta inferior aos US$ 20 milhões previstos na multa rescisória. Real Madrid, Manchester United e Milan disputam o ?leilão?, hoje em torno de US$ 14 milhões. Como se não bastasse, precisa correr contra o tempo, outro inimigo são-paulino na negociação. Parece complicado entender a história, mas não é. Como qualquer outro clube brasileiro, o São Paulo está longe de dispor de contas equilibradas. Contudo, no Morumbi, dois ?detalhes? agravam ainda mais a já combalida situação: as contratações do meia Ricardinho e do atacante Luís Fabiano. Os são-paulinos não conseguem encontrar recursos para viabilizar a pagamento das prestações referentes ao negócio com o Rennes, da França. Comenta-se nos tristes corredores do clube que o total da transação, US$ 2,2 milhões, foi dividido em 10 parcelas de US$ 220 mil. O débito é automático na conta corrente do clube, um ?fardo? mensal considerável. Já no caso de Ricardinho, o clube terá de pagar R$ 1,25 milhão até o final do semestre, além de reajustar o salário do ex-meia corintiano. Em outras palavras, para ficar com a dupla Ricardinho/Luís Fabiano, o clube vai ter de se desfazer de Kaká. A questão, nesse caso, é: compensa? Pressa ? Quando Kaká fala que sonha em jogar na Europa, mas que não tem pressa, é verdade! Quando o empresário do jogador, Wagner Ribeiro, diz que Kaká vai jogar no futebol europeu, mas que não tem pressa em fechar o negócio, é verdade. Se o São Paulo disser que não tem pressa, desconfie! O clube do Morumbi é a única parte do processo que corre contra o tempo. ?O negócio tem de sair agora. Acontece que o mercado abre no meio do ano e, se não fechar em 2003, ninguém vai fazê-lo em 2004, já que o contrato dele (Kaká) com o São Paulo termina no final do ano que vem. Os europeus esperarão mais seis meses e não pagarão nada ao clube?, explicou pessoa envolvida nas conversas. Para acalmar a torcida, o meia Souza, o volante Adriano e os atacante Rico e Ricardinho (Marília) estão chegando. A apresentação pode acontecer nesta sexta-feira, no CT na Barra Funda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.