São Paulo só empata com o Guarani

As reclamações do São Paulo contra o árbitro Paulo César de Oliveira podem até ter sido justas. Afinal, o sempre polêmico árbitro foi um dos responsáveis pelo resultado de 3 a 3 com o Guarani, neste sábado, no Morumbi, ao marcar um pênalti, muito contestato, no último minuto, a favor do time de Campinas. Porém, a arbitragem não serve para esconder as falhas do time, que mostrou apenas sete minutos de bom futebol ? tempo em que virou o resultado de 2 a 0 para o adversário, ainda na primeira etapa. O empate não ajuda em nada o São Paulo, que subiu para o 6.º lugar, com 45 pontos, mas pode perder posições após os jogos deste domingo. O time de Campinas, com 25 pontos, segue na luta contra o rebaixamento. O primeiro tempo foi emocionante. Além de repetir a velha falta de criatividade no meio-campo, o São Paulo deu espaços para o adversário, que foi mais objetivo e aproveitou para abrir vantagem. Aos 30, Harison cobrou falta na entrada da área ? a bola desviou em Cicinho, enganou Rogério Ceni e foi para as redes. Apesar de ter saído num lance de sorte, o gol fez justiça ao melhor time em campo. Tanto que um minuto depois, Jean fez pênalti, ao derrubar Sandro Hiroshi na área. Na cobrança de Valdir Papel, Rogério Ceni defendeu, mas o próprio atacante pegou o rebote e marcou o segundo. Só depois da desvantagem o São Paulo reagiu. Cicinho cobrou rapidamente o lateral para Grafite, que ganhou de João Carlos, chutou cruzado e diminuiu o prejuízo. O empate saiu na falha do goleiro Jean. Após cobrança de escanteio, Alê ganhou da defesa e Lugano tocou de cabeça, por cima de Jean, que saiu mal do gol. A equipe da casa se entusiasmou e passou à frente no lance seguinte. Diego Tardelli recebeu lançamento, ganhou na velocidade de três zagueiros e tocou no canto direito de Jean. Seria exigir demais das equipes outros 45 minutos de emoção, na etapa final. No primeiro minuto o São Paulo teve chance para ampliar ? Fabão cabeceou no travessão, após a cobrança de escanteio ?, mas mostrou lentidão e errou muitos passes. Apesar de suas deficiências, o Guarani reagiu e ficou mais ofensivo com a entrada de Viola no lugar de Roberto. Mesmo fora de ritmo ? afastado do elenco, não atuava há um mês ? o veterano atacante conseguiu ajudar sua equipe no último minuto. Lugano puxou Simão dentro da área e o meia do Guarani soube ?valorizar? o lance. Influenciado, o árbitro marcou pênalti. Viola cobrou à esquerda de Rogério Ceni e definiu o placar. Em seguida, Paulo César encerrou o jogo e os jogadores do São Paulo partiram para a reclamação. ?Ele chamou o Cicinho e o Alê para a briga?, acusou, revoltado, o técnico Cuca. ?Ele disse que não marcaria nenhuma falta sobre mim e influenciou o resultado?, apontou Cicinho.

Agencia Estado,

28 Agosto 2004 | 18h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.