São Paulo só pensa nos clássicos

O São Paulo não questionou a vitória da Ponte Preta, por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, no Majestoso, em Campinas, e não escondeu sua preocupação em superar os dois clássicos que terá no Campeoanto Brasileiro neste final de semana: primeiro o Santos, sábado à noite, depois o Corinthians, segunda-feira, em jogo remarcado pelo STJD por conta do escândalo do apito."Ficou tudo como antes, porque eles tinham vencido no primeiro jogo e com justiça. Não podemos também reclamar de nada, porque eles mereceram a vitória. É bem verdade que o segundo gol saiu num pênalti inexistente", explicou o técnico Paulo Autuori, que antes do jogo resolveu mesmo poupar três jogadores - Cicinho, Josué e Lugano - para o clássico com o Corinthians, na segunda-feira. "Está escrito no regulamento. Só isso", repetia. Ele queria dizer que optou pelo cumprimento da suspensão para que os três possam vencer o líder da competição.Rogério Ceni reconheceu méritos no adversário. "Eles mereceram porque fizeram os gols e lutaram bastante. Melhoramos no segundo tempo, mas não marcamos os gols, depois sofremos outro gol, num pênalti inexistente", resumiu o goleiro Rogério Ceni. Os jogadores pareciam mais preocupados com os dois clássicos do final de semana. Para Mineiro, "a Ponte Preta teve mérito de explorar bem os contra-ataques, mas agora é levantar a cabeça". Posição parecida tinha Thiago Ribeiro, nova promessa do Morumbi: "Futebol é assim mesmo, não se vence sempre. Mas não vamos desanimar", prometeu.Ponte satisfeita - Do lado da Ponte Preta, houve muita comemoração e ficou no ar um sentimento de justiça porque o time tinha vencido, por 1 a 0, no dia 2 de julho, pela 10.ª rodada. "Tivemos que ganhar deles duas vezes, o que comprova nossa força", bradou o capitão Galeano, que explicou os motivos que impediu Izaías de cobrar a penalidade máxima, que resultou no segundo gol do jogo. "O cobrador oficial é o Élson e como ele estava em campo, ele tinha que bater".No final do jogo Galeano reuniu os jogadores e foram até o setor das gerais agradecer o apoio da torcida. "Cumprimos a obrigação de vencer diante de nossa torcida", comentou.O Comando da Polícia Militar não registrou nenhum incidente grave dentro e fora do estádio. Perto de oito mil pessoas foram ao Majestoso e tiveram o acompanhamento de 450 policiais, com atenção dobrada para os visitantes, perto de 1.500 torcedores.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2005 | 00h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.