São Paulo sofre ameaça de torcedores

A derrota para o São Caetano por 2 a 0, no domingo, trouxe sérias conseqüências para o São Paulo. Alguns torcedores, principalmente membros da uniformizada Independente, estão ameaçando fazer manifestações caso o time seja eliminado pelo Fluminense, na quarta-feira, no Maracanã, pelo Torneio Rio-São Paulo. Eles prometem ir ao CT da Barra Funda na quinta-feira para protestar contra jogadores e comissão técnica. Os atletas do São Paulo não ficaram nada satisfeitos com as ameaças da torcida e criticaram a atitude."Os torcedores estão jogando muita responsabilidade para cima da gente e praticamente eliminando o São Paulo do Rio-São Paulo", afirmou o atacante França. Embora seja o artilheiro da equipe na temporada, com 6 gols, o jogador é um dos mais criticados pelos torcedores.Embora tenham procurado não polemizar, os são-paulinos não conseguiram esconder a revolta com as manifestações dos torcedores. O lateral-direito Belletti, por exemplo, acabou "comprando a briga". "A gente não tem medo de nada, nem de torcida. Eles acham que a gente entra em campo para que? É lógico que é para ganhar", desabafou. O jovem Renatinho, de 19 anos, também não considerou justa a forma como o torcedor está agindo. "Fazendo ameaça não é um modo legal de se cobrar o time." Vadão, que não vem agradando a alguns são-paulinos, pediu apoio e paciência à torcida. "É um momento de união", afirmou.Ele preferiu não dizer se receberá ou não os torcedores caso eles compareçam ao CT da Barra Funda para protestar. "Esse é um problema da diretoria." A revolta parece ser generalizada. Nos próximos dias, um grupo de torcedores vai lançar um site (www.saopaulomania.com.br) na internet contra a gestão da atual diretoria do clube. O espaço será destinado aos torcedores que queiram fazer críticas ou dar sugestões aos dirigentes. "Estamos revoltados com o Paulo Amaral (presidente). Quando candidato, disse durante a campanha que sua meta principal era acertar uma parceria; depois que o time foi campeão paulista, no ano passado, afirmou que não haveria mais necessidade, é um absurdo", afirmou o economista Fábio José Paulo, de 26 anos, idealizador do site. "Será um espaço utilizado também para denúncias." Fábio diz não pertencer a nenhuma facção de torcida. O presidente, Paulo Amaral, foi procurado para comentar o fato, mas não foi encontrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.