São Paulo sofre com pressões internas

O São Paulo vai entrar em campo pressionado para enfrentar o Cobreloa, nesta quarta-feira, às 21h45, em Calama. Não pela torcida chilena, desanimada com a fraca temporada do seu time, mas pelos próprios são-paulinos - torcedores e dirigentes. As cobranças já começaram no fim de semana, após a derrota para o São Caetano pelo Campeonato Paulista, e vão aumentar bastante se a equipe retornar ao Brasil com novo tropeço.Um fracasso na primeira fase da Libertadores seria uma tragédia não só para os atletas e para o técnico Cuca, mas principalmente para o presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que luta pela reeleição no São Paulo. Uma eliminação na primeira fase da competição que os dirigentes e os torcedores dão prioridade poderia tirar muitos votos do dirigente, que disputará o trono com Paulo Amaral.Esse ambiente que cerca o confronto aumenta a responsabilidade dos jogadores, que, por mais experientes que sejam, sentem o peso nas costas. O lateral-direito Cicinho revelou ter essa sensação de pressão antes de embarcar para o Chile. "Quando jogamos contra a LDU, no Equador, era decisão. Depois, contra a LDU, no Morumbi, outra decisão. Contra o São Caetano, também, decisão. Não é fácil", desabafou.Em mais uma decisão, o São Paulo tem a obrigação de ganhar, por vários aspectos. O Cobreloa faz péssima campanha - perdeu os quatro jogos que disputou no torneio - e está sem motivação, pois não tem mais possibilidades de classificação. Não deve, assim, causar grandes problemas. O time brasileiro ocupa a segunda colocação do grupo 4 da Libertadores, com 9 pontos. Tem a mesma pontuação da LDU, do Equador, porém perde no saldo de gols. O Alianza Lima, que na quinta recebe os equatorianos do LDU, no Peru, soma 6 e ainda briga pela vaga. A vitória deixará os são-paulinos bem perto das oitavas-de-final, mas a derrota poderá complicar a situação. Na última rodada, em 7 de abril, o São Paulo pega o Alianza, no Morumbi.A maior preocupação de Cuca nos últimos dias foi trabalhar o lado psicológico dos jogadores, que ficaram extremamente abatidos com a eliminação no Paulista. O treinador vai manter a base dos últimos jogos. Mais uma vez, no entanto, vai fazer mudança no meio-campo. Souza, que não foi bem no domingo, deve ir para a reserva. Marquinhos e Vélber têm chances de iniciar a partida.

Agencia Estado,

23 de março de 2004 | 18h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.