São Paulo sofre duas derrotas no STJD, com Bosco e Hugo

Tribunal aumenta suspensão do goleiro reserva de um para três jogos e mantêm os 120 dias para o meia

04 de outubro de 2007 | 19h31

O goleiro Bosco, do São Paulo, teve sua punição aumentada no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter simulado uma agressão no clássico contra o Palmeiras, no Palestra Itália - levou uma pilha que estava no gramado ao quarto árbitro, Rodrigo Cinta, com as mãos à cabeça, como se tivesse sido acertado pelo objeto. Bosco foi punido com um jogo de suspensão no primeiro julgamento, mas o Palmeiras reclamou e, a pedido do procurador Paulo Schmitt, houve um novo julgamento nesta quinta. Bosco foi suspenso por três jogos e, como já cumpriu um, terá de ficar mais duas partidas fora do banco de reservas - a medida vale a partir do clássico de domingo, contra o Corinthians. O líder do Brasileiro sofreu outra derrota no STJD: o tribunal manteve a suspensão de 120 dias ao meia Hugo por ter cuspido no volante Goiano, do Paraná. O clube tentava a redução da pena, que foi negada por unanimidade pelos juízes. Encontro marcado No dia 6 de novembro, o volante Richarlyson e o diretor do Palmeiras José Cyrillo Júnior ficarão pela primeira vez frente a frente por conta das insinuações do palmeirense, num programa de TV, de que o são-paulino seria homossexual. O Jecrim (Juizado Especial Criminal) marcou uma audiência de conciliação entre as partes, informou o advogado do jogador, Renato Salge. Cyrillo tentou evitar o encontro, mas não conseguiu. Além da queixa-crime, o jogador move uma ação por danos morais contra Cyrillo, pedindo indenização de R$ 300 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCBoscoHugoSTJDsuspensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.